Selma Arruda é acusada de ir a ato político bancada por dinheiro público

Senadora rebateu acusação, afirmando se tratar de agenda parlamentar

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma viagem da senadora Selma Arruda (PSL-MT) de Brasília para Mato Grosso entre os dias 16 e 18 de agosto está estampada no site da Revista Época nesta quinta-feira (5).

O motivo, segundo a publicação, é que Selma teria usado dinheiro do Senado, quando o objetivo do deslocamento era partidário. Ela veio para três atos de filiação de novos militantes do PSL.

De acordo com a revista, Selma passou por Cuiabá, Sorriso e Sinop. Teria gastado pouco mais de R$ 3,1 mil contando com transporte aéreo e terrestres, alimentação e hospedagem.

Despesas não só da própria senadora, mas também de dois assessores que trabalham em seu escritório em Mato Grosso. Tudo bancado com dinheiro das verbas indenizatórias do Senado, destinadas para custear gastos de atividade como parlamentar.

Outro lado

À revista – que chamou Selma Arruda pelo apelido de “Moro de saias”, numa alusão a seu forte discurso anticorrupção – a senadora teria argumentado que a viagem não foi exclusivamente para participar dos atos de filiação do PSL.

Conforme a nota publicada pela Época, Selma também teria cumprido compromissos de interesse parlamentar nas três cidades mato-grossenses.

Ao LIVRE, Selma Arruda afirmou que a Revista Época “é tendenciosa” e que o “escândalo” seria por algo “nada demais”.

“Uma vez a cada duas semanas, em média, vou a Mato Grosso, onde tenho escritório e cumpro várias agendas. Naquele final de semana foi a mesma coisa”, garantiu a senadora.

Confira a íntegra da nota enviada por Selma Arruda à reportagem do LIVRE:

“A viagem ao Estado de Mato Grosso realizada entre os dias 16 e 19/08, não se destinou exclusivamente aos atos de filiação do PSL, mas também a outros compromissos e reuniões de interesses parlamentares e políticos já agendados anteriormente nessas cidades. Em razão disso, houve a necessidade de deslocamento terrestre de equipe de apoio e a consequente utilização da verba para o exercício parlamentar, em conformidade com as regras estabelecidas pelo Senado Federal.

Cabe ressaltar que esse tipo de agenda envolvendo ações parlamentares e outras atividades é frequente na rotina parlamentar.”

(Atualizada às 09h10)