Selecionado para evento nacional, grafiteiro rifa telas em busca de apoio

O artista Presto23 está rifando duas telas para custear viagem

Foto de Bruno Cidade

Andar pelas ruas de Cuiabá é entrar em contato constante com grafites que ressignificam os muros e paisagens, a exemplo de algumas das intervenções de Presto23, artista cuiabano do grafite que acaba de ser selecionado para o Graffiti Arte Feira. O evento que ocorre em Feira de Santana (BA), é um dos mais representativos de arte urbana no Brasil.

O resultado da quinta edição foi divulgado na segunda-feira (6) e dentre os mais de 50 nomes figuram o de Presto e Babu Seteoito, representantes mato-grossenses. Ambos seguem para lá nos dias 29 e 30 de setembro. São novas conquistas para o grafite de Mato Grosso, já que Babu também acaba de faturar o segundo lugar no Prêmio Pipa, de arte contemporânea.

Babu e Presto são um dos poucos grafiteiros da capital, cuja história se entrelaça há tempos. Presto23 participou de oficina ministrada por Babu, em 2014. Quatro anos depois, estão ainda mais unidos e colecionam vários trabalhos feitos em “dueto”, como  a faixa 3D para pedestres em Primavera do Leste ou muro de frente ao Hotel Grand Tulip, na Fernando Corrêa.

Foco no indio… 📷:@ruaantiga

Uma publicação compartilhada por Presto23 (@presto.mt) em

“Por conta desse universo com poucos grafiteiros ainda, a gente sempre acaba se falando e convidando um ao outro para os eventos que vão aparecendo. Babu é um cara brother demais, que me ensinou a fazer grafite e sempre fortalece, seja em tinta, seja em questão de vida, trabalho. É meio que um irmão mais velho que a rua me proporcionou”, sorri.

Sobre a oportunidade, declara: “é muito importante para o artista participar de eventos assim, pois além de trazerem um grande respaldo, nos dão a chance de crescer ainda mais em nossa arte, pois Cuiabá não tem esses tipos de evento. Lá participamos de oficinas, vivências, trocamos informações com outros artistas e fazemos contato com gente de todo o Brasil e mundo”, diz.

Além dos artistas oficializados pela seleção, muita gente aparece por lá, não com os mesmos direitos, mas a coletividade predomina, como conta o artista. “No grafite predomina a coletividade, então muitas vezes o artista nem foi selecionado mas chega lá e tem o mesmo tratamento de quem foi, só não ganha tinta porque essa questão é mais burocrática. Mas, alojamento e alimentação sempre rolam, ninguém fica na mão”, conta.

Para custear a viagem, Presto23 tenta contar com a solidariedade dos amigos e porquê não, de entusiastas da cultura local. Ele está rifando duas telas com cartelas vendidas a R$ 10,00. A medida primeira (à esquerda) é 60 x 40 cm e a da direita, 30 x 40 cm.

O artista também faz trabalhos para empresas e residências.

Quer contribuir? Ligue para o Presto23:  (65) 99278 2173.