Secretário diz que ICMS da gasolina não vai subir até dezembro

Confaz ainda precisa determinar alíquota única para o combustível e mudança pode cortar redução aprovada no Estado em 2021

(Foto: Ednilson Aguiar / O Livre)

O secretário da Casa Civil, Rogério Gallo, disse que a alíquota do ICMS sobre a gasolina não deverá subir em Mato Grosso até dezembro, caso o patamar decidido pelo Confaz (Conselho Nacional de Política Fazenda) seja diferente do está sendo praticado. 

Segundo ele, a cobrança permanecerá igual à que estava em vigor em novembro do 2021, mês em que passou a vigorar o congelamento temporário do imposto por decisão dos Estados. A medida continua em vigor até junho. 

“[O ICMS] não vai subir, isso está absolutamente garantido. Até 31 de dezembro de 2022, o tributo que a gente cobra da gasolina e do diesel será exatamente o mesmo de 1º de novembro de 2021”, disse. 

O Confaz deverá definir uma alíquota única do ICMS para a gasolina em cumprimento da lei federal complementar nº 192/2022, aprovado no Congresso em fevereiro. A nova regra vem sendo criticada por alguns Estados por causa da perda de receita que tende a gerar com a equalização da alíquota. 

No fim de março, o Conselho fixou em R$ 1,0060 a cobrança do ICMS sobre o óleo diesel S10, o mais usado no Brasil. Ela começa a vigor em 1º de julho. 

Em Mato Grosso, no caso da gasolina, existe a hipótese de que alíquota suba e desfaça a redução local que entrou em vigor em 1º de janeiro. A cobrança caiu de 25% para 23%. Em outros Estados, na região Nordeste, a alíquota chega a 34%. 

“Não se pode mais atribuir à política tributária a responsabilidade pelo crescimento dos preços nas bombas. Nós temos que encontrar os fatores estruturais que levam a essa variação de preços tão absurda. Sabendo que o preço do diesel está relacionado a tudo, subiu o preço do diesel, sobe a cesta básica”, comentou. 

A lei federal foi aprovada como uma tentativa de reduzir o impacto das correções do preço do barril do petróleo diretamente nas bombas dos postos de combustíveis. Ela impede os reajustes do ICMS de acordo com novas altas determinadas pela Petrobras. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGovernador sanciona lei que garante 6 meses de licença maternidade a mãe adotante
Próximo artigoQuase meio milhão de jovens tiraram o título de eleitor no mês de março