Secretaria fiscaliza profissionais de saúde afastados por estarem em grupos de risco

Mato Grosso tem 74 profissionais da saúde na lista de pessoas infectadas pelo novo coronavírus; e algumas ficaram doentes após decreto de restrição

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O secretário de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo, disse nesta segunda-feira (4) que haverá uma fiscalização mais rigorosa aos profissionais da saúde que estejam em grupos de risco para a covid-19 e descumprem o decreto de isolamento. 

Ele afirmou que cerca de 600 servidores estão afastados e os que permanecem indo ao trabalho serão proibidos de manter a rotina. 

“Nós temos hoje 600 profissionais de saúde que não no grupo de risco, com suas atividades suspensas. E aqueles que continuam a descumprir o decreto que os proíbe de ir trabalhar vão sofrer restrição. O que nós queremos agora é que eles se protejam”, disse. 

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde, 74 profissionais de seu quadro estão hoje na lista de pessoas infectadas pelo novo coronavírus em Mato Grosso. E dentre elas há quem se contagiou após a entrada em vigor do decreto para pessoas em grupo de risco. 

Falecimento de enfermeiro

Hoje, o secretário Gilberto Figueiredo lamentou a morte do enfermeiro Athaíde Celestino da Silva, no sábado (2). Ele estava lotado no hospital Adauto Botelho, em Cuiabá, e internado há cerca de um mês em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).  

“Caiu um soldado querido. Participei do funeral do enfermeiro Athaíde e lamentei a morte dele e também por perceber que muitas pessoas ainda ignoram os riscos do contágio”, disse. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSite continua fora do ar, mas Energisa já restabelece serviços
Próximo artigoO desafio dos órgãos de controle em tempos de pandemia