Secretária de Saúde de Cuiabá deve ser convocada para explicar remédios vencidos

Vereador Dilemário Alencar também quer convocar o diretor do Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos da Prefeitura de Cuiabá

Reprodução

O vereador Dilemário Alencar (Podemos) pretende convocar a secretária municipal de Saúde, Ozenira Félix, e o diretor do Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos da Prefeitura de Cuiabá, para falar sobre a denúncia dos medicamentos vencidos encontrados na última sexta-feira no Centro de Distribuição de Cuiabá.

Segundo Dilemário, ele apresentará um requerimento de convocação para os dois na sessão ordinária da câmara da próxima terça-feira (27).

“A secretária Ozenira tem dito a imprensa, tentando justificar, depois que veio à tona esse escândalo dos medicamentos vencidos, que ela determinou em outubro de 2020 umaO averiguação sobre essa situação. Mas como que pode, depois de seis meses que ela tomou essa iniciativa, muitos medicamentos continuarem ficando nas prateleiras até vencer a data da sua validade sem que fossem distribuídos para a unidades de saúde? A secretária e o diretor do Centro de Distribuição de Medicamentos precisam explicar isso no plenário da Câmara Municipal, pois tudo leva a crer que milhões de reais em dinheiro público foram jogados na lata do lixo”, disse o vereador Dilemário Alencar.

Para que a secretária de saúde seja convocada a dar explicações em sessão ordinária da Câmara Municipal é preciso que o requerimento proposto pelo vereador Dilemário seja aprovado por 13 vereadores. O parlamento municipal é composto por 25 vereadores.

LEIA TAMBÉM

O caso

Dezenas de medicamentos vencidos foram encontradas estocadas na Central de Distribuição de Cuiabá. Caixas de remédios foram descobertas em vistoria de vereadores nessa sexta-feira (23). Parte dos medicamentos inclui produtos receitados para tratamento da covid-19. 

Conforme a vereadora Michelly Alencar (Cidadania), foram identificados frascos e embalagens do antibiótico amoxicilina, do analgésico e anti-inflamatório ibuprofeno, dipirona, paracetamol, anestésicos e até leite em pó. 

O vereador Dilemário Alencar disse que também foi identificado caixa de AmBisome, tipo de anfotericina B, com custo de R$ 22 mil no mercado. 

No vídeo divulgado pelos vereadores que foram à Central de Distribuição, aparecem dezenas de caixas de medicamentos que eles dizem estar em “processo de descarte”, por causa da expiração de prazo de uso.  

Ainda segundo eles, boa parte não foi distribuída paras as unidades de saúde. Alguns produtos tem data de validade vencida em 2020. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCaixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em setembro
Próximo artigoIntenção de consumo das famílias em Cuiabá tem terceira queda seguida