Secretaria de Saúde apura morte de mãe após parto na Rede Cegonha

Jovem apresentou complicações e não resistiu. A família denuncia suposto erro médico

A Secretaria de Saúde de Várzea Grande informou, neste sábado (15), que está apurando as causas da morte de Rafaela Maria Rosa da Cruz, de 27 anos, em 12 de janeiro. A jovem deu à luz na Maternidade Municipal Dr. Francisco Lustosa de Figueiredo, unidade da Rede Cegonha, e faleceu após apresentar complicações em seu quadro clínico. A família denunciou um possível erro médico.

Conforme o relato dos familiares, Rafaela passou 27 horas em trabalho de parto, chegou a apresentar sangramento e passou por uma cesariana de emergência.

A família afirma que, após o procedimento, a jovem não acordou da anestesia e ainda estava com hemorragia. Enquanto passava por uma nova cirurgia, Rafaela não resistiu e faleceu.

LEIA TAMBÉM

Jovem morre após parto e família denuncia possível erro médico

O que diz a Prefeitura?

A Secretaria Municipal de Saúde informou que a equipe médica está apurado o fato ocorrido com Rafaela. Todavia, já apresentou sua versão sobre os fatos e garantiu que a jovem recebeu todo o atendimento necessário.

De acordo com os registros clínicos, a jovem chegou às 6h02 de 11 de janeiro e às 6h15 já tinha passado pela avaliação da médica plantonista. A gestante estava bem e “fora de trabalho de parto, com 1 centímetro de dilatação, dentro da normalidade”, ressalta a nota divulgada.

Conforme os médicos, a paciente foi internada e foram realizados os procedimentos para observar a evolução da gestante para o parto normal, como era da vontade de Rafaela.

O Município afirma que foi disponibilizada a estrutura e acompanhamento de profissionais para o caso. “Devido a não progressão da dilatação e desejo materno, foi indicada a cesariana, que sucedeu sem qualquer intercorrência”, afirma o texto.

Contudo, após o parto, Rafaela sofreu uma atonia uterina, quando não há contração do útero após a morte. De acordo com os médicos, essa é a segunda causa de morte materna no Brasil, segundo o Ministério da Saúde.

A jovem passou por uma cirurgia de retirada do útero e também por transfusão sanguínea, mas não resistiu e faleceu.

Confira a nota na íntegra:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPolícia investiga se houve ação de terceiros em queda de rocha em Capitólio
Próximo artigoSaiba as vantagens de ter energia solar em sua residência