Sangria: após o réveillon, ex-secretário-adjunto de Saúde se entrega à polícia

Defaz investiga suspeita de que uma organização criminosa tentaria monopolizar serviços de saúde em MT

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O ex-secretário-adjunto de Saúde de Cuiabá, Flavio Alexandre Taques da Silva, se entregou à Polícia Civil nesta quarta-feira (2). Alvo da segunda fase da Operação Sangria, ele estava foragido desde 18 de dezembro. No mesmo dia, foi exonerado do cargo pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

Segundo a assessoria, Flavio se apresentou na Polinter e passará por audiência de custódia. Na ocasião, o juiz decidirá se ele continua preso e onde, possivelmente, no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), no bairro Carumbé, onde ficam os presos com curso superior.

A Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) investiga a suspeita de que uma organização criminosa atuaria para monopolizar serviços de saúde no Estado, por meio das empresas Proclin, Qualycare e Prox Participações.

Os alvos da segunda fase da Operação Sangria, entre eles três médicos, um gerente de licitação, um coordenador financeiro, parente, e funcionários das empresas prestadoras de serviços médicos hospitalares, são investigados por obstrução à justiça praticada por organização criminosa e coação no curso do processo.

O ex-secretário de Saúde da capital Huark Douglas Correia também foi preso, apontado como líder do suposto esquema, que existiria há pelo menos seis anos. Huark já obteve um habeas corpus e responderá em liberdade.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNão vamos revelar os memes mais procurados no Google em 2018: “é verdade esse bilete”
Próximo artigoOnyx Lorenzoni propõe pacto com a oposição

O LIVRE ADS