Samba das Cabrochas: grupo realiza tributo a mulheres que dão voz aos clássicos

Com o tema "mulheres que são samba", a roda terá homenagem à "madrinha do samba" Beth Carvalho, falecida no dia 30 de abril

Foi nos terreiros comandados pelas tias baianas que o samba nasceu. Na coletividade das rodas, nas parcerias criativas e nas comunidades das escolas de samba, com ativíssima participação feminina, o samba se criou. Daí conclui-se que não se pode imaginar a história do samba sem o poder organizador, criador, talentoso e inteligente das mulheres, as chamadas “Cabrochas”.

Em Cuiabá, o grupo Samba das Cabrochas se reúne mais uma vez no próximo dia 24 de maio (sexta-feira), com a presença de Andrea Rosa (cavaquinho e vocal), Deize Águena (voz), Fátima Campos (voz), Juliane Grisólia (pandeiro e voz), Monica Campos (surdo), Sandra Regina (voz), Sônia Moraes (voz), além do violinista Marinho Sete Cortas e o percussionista Bruno Lima. A festa começa às 20 horas, no Trigória Bar; os ingressos estão à venda por R$20.

O repertório terá como tema “Mulheres que dão Samba”. “Nesta apresentação vamos costurar essas histórias muito sutis e significativas, com sambas que as traduzem desde os anos 30 até o tempo atual”, conta Sandra Regina, cabrocha rainha.

O show será dividido em dois blocos. O primeiro é dedicado às mulheres que foram inspiração para os sambas, em composições de Wilson Baptista, Mario Lago, Adoniran Barbosa, Dorival Caymmi, Geraldo Pereira, entre outros.

O segundo bloco é dedicado às grandes intérpretes, com sambas que se tornaram inesquecíveis nas vozes de Clementina de Jesus, Jovelina Pérola Negra, Elza Soares, Alcione, Clara Nunes e Beth Carvalho. Também estarão em destaque compositoras e serão cantados sambas de Dona Ivone Lara, Teresa Cristina e Ana Costa.

Ainda no segundo bloco, o grupo prestará uma homenagem a cantora Beth Carvalho conhecida também como “Madrinha do Samba”, que faleceu no último dia 30 de abril.

“Beth Carvalho é uma voz que está na alma do brasileiro, cantando sambas que retratam o cotidiano suburbano, o grito das senzalas, a força da mulher e como cantora popular seu compromisso era com o povo, sua cultura e para isso buscou com apetência e devoção insuspeita as pérolas do cancioneiro do povo”.

Sandra Regina destaca que a voz se foi, mas permanecerá a obra e caberá ao povo e principalmente às mulheres mantê-la viva na memória e nas rodas de samba da vida. “Parafraseando Mario Lago: Beth Carvalho é que era mulher de verdade, cantava um samba e nos colocava a vontade”

O Trigória Bar e Restaurante está localizado na Avenida Haiti, 468, Jardim das Américas. Mais informações pelo telefone (65) 99975-0671.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSeis espaços museológicos para se visitar em Mato Grosso
Próximo artigoSecretário Nacional visita MT e garante investimento de R$ 5 milhões na fronteira