Rotina de incêndios: lojistas reivindicam hidrantes no Centro Histórico de Cuiabá

Caminhões do Corpo de Bombeiros têm dificuldade em manobrar nas ruelas da área

Combater um incêndio no Centro Histórico de Cuiabá e entorno é uma tarefa árdua. A área têm ruelas estreitas que dificultam a entrada do caminhão dos Bombeiros, os imóveis são geminados, o que facilita o alastrar das chamas e não há hidrantes em quantidade suficiente.

O diretor-adjunto de Segurança Contra Incêndio e Pânico do Corpo de Bombeiros, major Heitor Fernandes da Luz, explica que um relatório com a quantidade necessária de hidrantes para área central foi encaminhado para a Prefeitura de Cuiabá.

Conforme as normas técnicas, é preciso um hidrante a cada 500 metros na área central. Com o ponto, o major diz que os caminhões menores podem ser reabastecidos com mais facilidade.

Reportagens publicadas em 2016 mostram que, naquela época, o Corpo de Bombeiros identificou a necessidade de 233 hidrantes em toda a Cuiabá. Na ocasião, haviam apenas 13.

Último registro de incêndio foi em uma loja de aluguel de roupas, perto da Praça Maria Taquara (Divulgação / CB)

De acordo com o presidente da Associação dos Lojistas do Centro Histórico de Cuiabá, João Batista, os comerciantes estão reivindicando hidrantes há muito tempo, mas não são atendidos.

Batista assegura que, desde que o relatório dos Bombeiros foi entregue, em 2016, nada foi feito pelo poder público.

Em muitos casos de incêndio, a presença dos hidrantes teria minimizado os prejuízos. Ele lembra que, na semana passada, um depósito pegou fogo.

“Os Bombeiros chegaram rápido, mas há muita dificuldade de manobrar um caminhão dentro do centro. Se tivesse hidrante, o estoque não seria todo perdido”.

Caso recente

Uma loja de locação de roupas foi completamente destruída no Centro Histórico de Cuiabá. O imóvel fica na avenida Tenente Coronel Duarte, a Prainha, nas proximidades do Morro da Luz.

Conforme informações do Corpo de Bombeiros, as chamas iniciaram de madrugada, por volta das 2h11. O empreendimento foi totalmente destruído e outros dois comércios vizinhos foram parcialmente afetados.

As chamas se alastraram rapidamente, porque os imóveis dividem a mesma parede.

A Polícia Técnica esteve no local e dará um laudo sobre a causa do acidente.

Para apagar o fogo, foram usados 15 mil litros de água. Um caminhão grande de 30 mil litros e dois menores de 6 litros.

Outro lado

A Prefeitura de Cuiabá informou, por meio da assessoria de imprensa, que a instalação dos hidrantes é atribuição da Águas Cuiabá.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Águas Cuiabá e até agora não obteve retorno. O espaço continua aberto a manifestações.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS