Rotam desarticula 22 quadrilhas de estelionato e recupera mais de R$ 1 milhão

De 2019 a 2021, a Rotam prendeu 85 pessoas envolvidas diretamente em crimes de estelionato através de sites de compra e venda por internet

Rotam estelionato
Foto: PMMT

Nos últimos três anos, a Polícia Militar, por meio do Batalhão Rotam, prendeu 85 pessoas por estelionato. Com as prisões, a unidade especializada desarticulou 22 quadrilhas criminosas que atuavam em um conhecido site de compra e venda e recuperou mais de R$ 1 milhão.

A repressão aos crimes de estelionato pela Polícia Militar vem sendo crucial para frustrar a ação criminosa e evitar que quadrilhas de estelionatários venham a fazer ainda mais vítimas no estado.

Nas ações, os policiais recuperaram mais R$ 121 mil em espécie, R$ 15 mil em cheques e cerca de R$ 1 milhão que foram transferidos pelas vítimas para as contas bancárias dos suspeitos durante falsas negociações de compra e venda pela internet.

Neste período, a Rotam apreendeu 184 cartões bancários, 73 documentos falsificados, 49 holerites, 2 kg de entorpecentes, 113 celulares e 264 chips. Em 2019, os policiais prenderam quatro pessoas; no ano seguinte (2020) foram 54 suspeitos presos e neste primeiro trimestre de 2021 as equipes da unidade especializada prenderam 27 pessoas.

O Batalhão Rotam é uma das unidades da PM que vem combatendo fortemente essas quadrilhas que alugam imóveis (casas e quitinetes) para montar centrais clandestinas de fraudes em busca de possíveis vendedores e compradores na internet.

Em 2021, a Rotam já prendeu 27 pessoas e apreendeu R$ 54 mil com os suspeitos. O comandante da unidade especializada do Batalhão Rotam, tenente-coronel Paulo César, explica que os suspeitos procuram angariar dinheiro para financiar as ações delituosas da organização criminosa.

“Essas pessoas, para praticar os golpes, se organizam, pesquisam sobre suas possíveis vítimas; elas verificam pela internet quem está vendendo ou querendo comprar algo, e é nesta pesquisa que eles planejam o golpe para arrancar dinheiro das pessoas. São propostas que parecem irrecusáveis, com vasta vantagem, como a venda de um carro que vale R$ 25 mil sendo comercializado por R$ 5 mil. Os criminosos pressionam as vítimas a fecharem o negócio. Eles dizem ao telefone: ‘se você não comprar esse nosso produto, já tenho outra pessoa aqui na linha para fechar’; é uma pressão psicológica que faz com que a vítima não desconfie e acabe fechando o negócio, com isso o dinheiro vai direto para contas destas quadrilhas”, diz o tenente-coronel.

Durante o patrulhamento tático ou checagem de denúncia, os policiais detêm estes criminosos. O preparo do policial militar para identificar essas pessoas vem sendo fundamental no combate aos crimes de estelionato em Mato Grosso.

Homens e mulheres participam diretamente das negociações com as vítimas, os diálogos dos suspeitos para convencerem as pessoas a comprarem produtos com preços bem abaixo do mercado é algo que a PM já identificou e faz o alerta para a população desconfiar e  não cair no golpe.

A orientação da PM é para que a população fique atenta às propostas fora do comum, desconfiar e apurar bem a negociação e evitar fechar o negócio com rapidez. Os policiais orientam as pessoas a relataram a possibilidade de negociação com outras pessoas como familiares e analisar a proposta com calma. Se caso cair em algum golpe, as vítimas devem denunciar e principalmente registrar o boletim de ocorrência.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNovos postos de vacinação em VG
Próximo artigoAo invés de evitar, lockdown pode causar mortes, diz estudo