Romoaldo sobre o MP: “querem eliminar qualquer um que é do passado”

Deputado é acusado de participar de esquema que desviou R$ 9,4 milhões da Assembleia Legislativa

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Alvo de um pedido de cassação de mandato, o deputado estadual Romoaldo Júnior (MDB) voltou a atacar o Ministério Público Estadual (MPE). Segundo ele, por vezes, o órgão não “acata decisões das urnas” e tenta tirar o mandato de políticos eleitos, sobretudo os que já possuem mais de um mandato.

A manifestação do parlamentar é embasada no pedido de afastamento dele do cargo. Conforme o MPE, houve possível participação de Romoaldo no esquema de desvio de R$ 9,4 milhões da Assembleia Legislativa, relativo a uma dívida do Legislativo com o Banco Bamerindus Companhia de Seguros.

O deputado disse que recebeu com estranheza o pedido de afastamento porque já responde a ação desde 2015. Para ele, houve exagero absurdo por parte do Ministério Público ao fazer tal solicitação à Justiça.

“Vindo do Ministério Público [o pedido de afastamento], é normal. Eu sou da ‘velha guarda’, querem eliminar qualquer um que é do passado. Muitas vezes, eles não concordam com a decisão do eleitor, de ter me reconduzido à Assembleia”, disse o parlamentar, lembrando que é suplente, mas no exercício da função.

Romoaldo disse ainda que vai aguarda a decisão da Justiça e que espera ter todo o direito de defesa. “Até porque, quando eu assinei o pagamento, assinei na condição de substituto da presidência e com parecer favorável da Procuradoria da Casa”, comentou.

“Os fatos ocorreram em 2014, em outro mandato. Eu já foi deputado, voltei agora na condição de suplente e tenho certeza que vamos ter condições de defesa. Lamento que o Ministério Público haja assim. Vamos prestar todos os esclarecimento com a certeza de que o Tribunal de Justiça vai me dar condições de fazer a defesa, mantendo o mandato que a população me elegeu”, completou.