Rogê Além lança disco poético e tecnológico em plataformas online

Analosintético promete balançar o corpo e sacudir a alma com as canções disponíveis no Soundcloud e YouTube, a partir quinta-feira (22)

Timbres, guitarras e beats sintéticos marcam novo trabalho do cantor, compositor e produtor Rogê além, materializado em seu disco, que segue a tendência de expressivos nomes da MPB contemporânea. “Analosintético” será lançado em plataformas de música na internet nesta quinta-feira (22).

Unindo as linguagens analógicas e digital, resultado da sonoridade tecnológica e a estética vintage, fortemente presente no estilo de vida do artista. As canções, de teor existencialista, podem ser conferidas pelo Soundcloud e YouTube, agora mesmo.

Após vivência de anos à frente da banda Engenho de Dentro e realização de dois EP’s, a carreira solo de Rogê Além se consolida no universo experimental da música brasileira. Com uma música cada vez mais intuitiva, a adoção dos recursos tecnológicos veio por indicação do parceiro e artista Caio Mattoso.

“Desde o início do planejamento, estava claro para nós que o Analosintético não seria apenas um disco, mas sim, um projeto audiovisual multifacetado”, frisa o diretor de arte do projeto, Eduardo Dario.

Resultado dessa diversidade, o disco tem romance, música para dançar, improvisação jazzística, tom lisérgico e apocalíptico, e certa dose de world music, representada pelo tom hipnótico de mantras indianos. “Para balançar o corpo ne sacudir a alma”, como define o próprio músico.

 

A fonoaudióloga responsável pela preparação do cantor, Sonia Mazetto ressalta que neste trabalho Rogê interpreta suas canções com um timbre autêntico, de cor e vibração rara. “Claramente denota sua preocupação com a pesquisa e com a criatividade ao explorar linhas melodias e de contra-canto que criam texturas incríveis. Sem dúvida, um dos trabalhos mais significativos e complexos que já vi ao longo desses 20 anos na música de Mato Grosso”

O disco foi viabilizado com a aprovação do projeto no Circula MT, da Secretaria de Estado de Cultura e, a partir do dia 29 de abril, o músico começa a circular por cidades mato-grossenses, com shows gratuitos e realização de oficinas de capacitação para músicos e interessados no segmento, como prevê o edital.

A começar por Sinop, no Guadalupe, ocasião que marca a estreia da turnê Analosintético. Em maio, ele parte para apresentação em Rondonópolis, no Casario, e, em Cuiabá, o show será no Sesc Arsenal. Assim como neste dia 22, em todos os outros subsequentes também será lançado um videoclipe por mês, até completar as 11 faixas do disco.

Afastado dos palcos culibanos, em processo de imersão, o músico apostou em seu recanto para criação, em detrimento de um grande estúdio. Rogê atuou em todas as frentes de construção do disco que durou seis meses, assumindo a direção geral e artística, bem como a produção musical do disco.

“É um disco que replica uma série de mudanças. Me desfiz de conceitos pessoais e artísticos, ressignifiquei minha música. Com a utilização de um software, me assumi produtor também, fui de encontro a um milhão de possibilidades timbrísticas”, conta.

Para arrematar a parte técnica, a mixagem e masterização ficou a cargo de Leonardo Lima. Já a concepção visual e a direção e arte são frutos do trabalho de Eduardo Dario, com apoio da fotógrafa Mariangela Ferruda Zilli e styling por Anne Neubauer.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCorrida e morte súbita: cardiologista esclarece dúvidas de atletas
Próximo artigo“STF não deveria ter adiado decisão sobre HC de Lula”, diz Maia em MT