Réus podem fugir: MP quer que júri de acusados de matar prefeito não seja em Colniza

Yana Fois Alvarenga e Antônio Rodrigues Neto respondem por associação criminosa, receptação e vão a júri popular

(Foto: TJMT/Divulgação)

Yana Fois Alvarenga e Antônio Rodrigues Neto vão a júri popular pelo assassinato do prefeito de Colniza (1.065 km de Cuiabá), Esvandir Antonio Mendes, em dezembro de 2017. O julgamento está previsto para acontecer em breve no município.

O Ministério Público Estadual (MPE), contudo, solicitou à Justiça que o júri seja realizado em outro local. Como justificativa, o órgão apontou a possibilidade de fuga dos réus e um possível conflito armado.

Marido e mulher, eles respondem por associação criminosa, receptação, corrupção de menores e crime de trânsito. Eles estão presos no município de Juína.

O deslocamento até Colniza é que preocupa o MPE.

“Existe aproximadamente 270 Km de estrada de chão, com mais de 80 pontes de madeira, o que facilita a execução de qualquer plano de fuga, pois o automóvel necessita diminuir a velocidade para atravessar as pontes de madeiras”, aponta o órgão.

O Tribunal de Justiça (TJ) ainda deve se manifestar sobre o pedido.

O crime

Esvandir Antonio Mendes, de 61 anos, foi assassinado a tiros em dezembro de 2017 quando voltava da zona rural. Ele foi alvejado enquanto dirigia o carro na avenida 7 de setembro, região central da cidade.

A vítima perdeu o controle do veículo após ser baleado, bateu o carro e não conseguiu resistir aos ferimentos.

(Com Assessoria)

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCoronavírus: confira quais escolas particulares de Cuiabá suspenderam aulas
Próximo artigoCinemark anuncia plano de demissão voluntária no RJ por conta de pandemia

O LIVRE ADS