Respiradores de Mato Grosso custaram um terço do valor dos comprados pelo RJ

Valor pago pelo Governo de MT chega a ser três vezes menor do que outros Estados gastaram para adquirir equipamentos semelhantes

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O governo de Mato Grosso adquiriu 120 ventiladores mecânicos diretamente da China por um valor unitário três vezes menor que o pago pelo Estado do Rio de Janeiro – cujos gastos com a pandemia são alvos de investigação da Polícia Federal.

Em Mato Grosso os equipamentos chegaram nesta terça-feira (26) e serão utilizados no combate à pandemia do coronavírus.

Do total de respiradores, 100 são para Unidades de Terapia Intensiva (UTI), no valor de US$ 13,4 mil cada um, o que corresponde a R$ 68,4 mil, da época da compra. O valor total pago pelos aparelhos foi de R$ 6,8 milhões (US$ 1,3 milhão).

Auditoria e comparação

O preço que Mato Grosso comprou chegou a ser três vezes menor do que outros Estados gastaram para adquirir equipamentos similares, conforme auditoria da Controladoria Geral do Estado (CGE-MT).

Em uma das aquisições, a Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro chegou a pagar R$ 198 mil em cada respirador, o que totalizou uma compra de R$ 59,4 milhões por 300 aparelhos.

Ventiladores

Mato Grosso também comprou 20 ventiladores para transporte de emergência, ao custo unitário de R$ R$ 25,5 mil, o que totalizou uma compra de R$ 510,6 mil. Nesse caso a diferença chega a ser 11,1% menor, em relação a outros Estados.

Além dos 120 respiradores, chegaram a Mato Grosso nesta terça-feira 215 monitores, 40 mil macacões de proteção, 5 mil protetores faciais, 500 mil máscaras cirúrgicas, e 50 mil do tipo KN95, que serão destinados às unidades hospitalares estaduais. (Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorIncêndio residencial deixa dois feridos em Sorriso
Próximo artigoForça da pecuária durante a pandemia