Reprovados nas urnas

Com votações pífias, ex-vereadores passam vergonha em disputa pela Câmara de Cuiabá

Maurélio Ribeiro: o médico teve boa votação, mas conseguiu apenas a suplência (Foto: Assessoria/Câmara de Cuiabá)

Dos seis ex-vereadores que tentaram retornar a Câmara Municipal de Cuiabá nas eleições de 2020, todos fracassaram em seus projetos de poder.

O mais bem sucedido em votação foi Marcus Fabricio (PTB). Com 2.967 votos, o petebista conquistou a primeira suplência do PTB e obteve até mais votos que determinadores vereadores eleitos, porém, foi excluído pelas regras do coeficiente eleitoral.

Com 2.276 votos, o médico Maurélio Ribeiro, ex-vereador e ex-secretário municipal de Saúde, também é outro que enfrenta a mesma situação: com votação superior em relação a vereadores eleitores, mas de fora por imposição da legislação eleitoral.

Outros ex-vereadores tiveram votação pífia nas urnas. Luiz Poção (PP) com apenas 329 votos e Totó César (PTC) com 392. Também ficaram de fora o apresentador de TV Onofre Júnior (PV), que conquistou 814 votos e o empresário Rogério Varanda, com 1.406 votos.

Ex-vereadores que planejavam concorrer, Ralf Leite tomou conhecimento de que está inelegível, o que impediria a concessão do registro de candidatura pela Justiça Eleitoral.

Oséas Machado (MDB) alegou problemas de saúde para não disputar.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorControle de terras
Próximo artigoCompetência legal para fiscalização: Sema vs. Ibama