Rainha dos laços: empreendedora deixa universidade para se dedicar à sua paixão

A maior inspiração de Amanda é sua filha, Valentina.

Valentina, filha da Amanda / @atelievalentinalacos

Laços de cabelo são muito populares entre as mamães de recém-nascidos e, na maioria das vezes, o acessório continua acompanhando as meninas durante o crescimento. O preço, no entanto, pode assustar muita gente, como aconteceu com a Amanda Teixeira. Quando ela engravidou da pequena Valentina e começou a montar o enxoval, ficou insatisfeita com as opções de laços que encontrou.

“Além de caros demais, faltava um bom acabamento, um toque especial”, conta.

Então, Amanda não perdeu tempo e foi atrás de tutoriais e, tempo depois, fez um curso de laço, que ganhou dos pais. Na época, ela era universitária, cursava Nutrição na UFMT e, quando começou a confeccionar os próprios laços, a remuneração que veio deles valeu como uma renda alternativa, já que não dava para conciliar a faculdade em tempo integral com outro emprego.

Amanda precisou trancar a faculdade por dois semestres, porque conciliar os estudos com as demandas da maternidade consumia muito do tempo e da energia dela. Foi durante esse período que se apaixonou pelos laços.

“Quando retornei para a faculdade, uma mínima fitinha que eu encontrava, eu automaticamente estava tentando fazer um laço dela”, diz.

Ela começou com poucos clientes, e conforme os pedidos foram aumentando, Amanda foi percebendo que a Nutrição não lhe dava mais prazer. O apoio do marido durante esse processo foi importante, assegurando que ela seguisse fazendo algo que gostasse, ao em vez de começar a empurrar a universidade “com a barriga”.

Amanda resolveu transformar seu artesanato em trabalho, pesquisou sobre o mercado no ramo e voltou todo o seu foco para a maternidade e os laços.

“No início fui muito julgada, para dizer a verdade, até hoje em dia as pessoas dizem para eu trabalhar fora e conciliar os dois. Mas meus planos para faculdade é de buscar algo que vai ser bom para a profissão que escolhi para minha vida, que é o artesanato no ramo de laços.”

A maior inspiração de Amanda é sua filha, Valentina, sempre muito vaidosa e que compartilha do amor da mãe pelos laços. O ateliê começou com poucos clientes, a maioria parentes.  Aos poucos esse número foi crescendo tanto que Amanda perdeu as contas de quantas clientes atende.

Ateliê e maternidade

No início, Amanda conseguia conciliar bem o seu trabalho no ateliê com a rotina da maternidade, porém, com o aumento rápido da clientela, novas estratégias entraram em jogo. Valentina vai para a creche durante a manhã e geralmente fica com a avó quando ela precisa fazer suas entregas.

“Eu acordo às 05h30 e já começo a produção e ao meio dia, que é o horário que ela chega (da creche), eu divido meu tempo dando atenção para ela e ao mesmo tempo fazendo as encomendas com menos intensidade do que no período matutino”.

As clientes do ateliê são bem fiéis. A cada novidade postada no Instagram, as encomendas logo chegam. Se as clientes quiserem um modelo que ainda não tem na página do ateliê, Amanda pede uma foto e trabalha para chegar o mais próximo possível do pedido, ou cria outro baseado no modelo que recebeu.

Ela conta que também faz laços temáticos e sempre está lançando novidades e atende clientes em outros estados e até fora do país. E diversificando, já produziu laços para pets, como para alguns gatinhos de Belém do Pará.

Dentre os modelos que produz, o Laço Boutique, considerado um clássico dos laços, é o preferido de Amanda e também um dos que mais vende.

“Sempre que lanço algo novo vira campeão de vendas, até eu lançar outro”, se diverte a empreendedora.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSobreviventes do câncer devem mudar estilo de vida, diz pesquisa
Próximo artigoBarroso envia denúncia contra Temer para primeira instância

O LIVRE ADS