Radares não foram pagos

TCE disse que Semob pagou R$ 42 mil indevidamente para empresa que opera radares

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) informa ter retido a quantia de R$ 42.647,17, que seria destinada à Serget Mobilidade Viária Ltda, antes mesmo da auditoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A suspeita de irregularidade diz respeito à gestão de 2016, quando os equipamentos de fiscalização do Sistema Integrado de Trânsito de Cuiabá (SITC), operado pela empresa, permaneceram por 70 dias sem funcionamento.

De acordo com o titular da Pasta, Antenor Figueiredo, o desconto ocorreu assim que foi constatada a situação, evitando qualquer prejuízo ao erário. “Podemos garantir que, uma vez que foi comprovado o não funcionamento dos aparelhos, tomamos todas as medidas cabíveis para resguardar o patrimônio”, afirma.

O TCE determinou prazo de 30 dias para que a Semob comprove a retenção e solicitou que seja instaurado processo administrativo, de forma imediata, para apurar possíveis pagamentos indevidos referentes aos demais equipamentos fiscalizatórios que não foram objeto de análise da auditoria. O Secretário assegura ainda que os procedimentos serão conduzidos de maneira segura e transparente e que a Secretaria cumprirá com todas as recomendações do órgão.

LEIA TAMBÉM

TCE diz que empresa de radares eletrônicos recebeu recursos indevidos

(Com assessoria)