R$ 73 milhões? Veja em que ações será aplicado o dinheiro do combate aos incêndios florestais

A estiagem ainda nem chegou oficialmente e o Governo de Mato Grosso já usou quase metade do dinheiro

Foto: Sesp/MT

Dos R$ 73 milhões previstos pelo governo de Mato Grosso para investimentos no combate ao desmatamento e incêndios florestais ao longo de 2021, cerca de 58% – o equivalente a R$ 43,3 milhões – serão investidos no enfrentamento às chamas durante a estiagem.

A porcentagem parece alta, mas não é, já que dela já foram subtraídos R$ 21 milhões para a compra de um helicóptero, em abril.

A aeronave, segundo o governo, será utilizada nas atividades de fiscalização do setor de Meio Ambiente e no combate a crimes ambientais. E como está disponível, também será usada no combate aos incêndios, ou seja, acabou sendo incluída na cota de prevenção e combate às chamas.

Dessa forma, sobraram R$ 22 milhões para custear todos os demais itens necessários para o combate aos incêndios durante a seca. Todos eles estão descritos no Plano Estadual de Combate ao Desmatamento e Incêndios Florestais de Mato Grosso.

Compra de helicóptero está entre investimentos de combate ao fogo. (Foto: Sesp-MT)

Para onde vai o dinheiro que sobrou?

  • Palestra e campanhas educativas: R$ 57.500,00
  • Queimas controladas em Unidades de Conservação Estadual: R$ 22.750,00
  • Realização de aceiros: R$ 53.000,00
  • Estruturação das salas de situação descentralizadas: R$ 10.500,00
  • Capacitação de público externo – comunidades: R$ 17.000,00
  • Contratação de brigadistas civis (Corpo de Bombeiros): R$ 2.836.500,00
  • Contratação de brigadistas civis (Prevfogo e Ibama): R$ 2.836.500,00
  • Aperfeiçoamento do pessoal do Corpo de Bombeiros: R$ 458.000,00
  • Estruturar brigadas municipais mostras: R$3.101.340,00
  • Estruturar a aviação do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil: R$ 4.985.500,00
  • Sistematizar a operação ABAFA nos três biomas: R$ 71.000,00
  • Planejar, coordenar e executar operações de fiscalização e perícia a incêndios florestais e queimadas ilegais: R$ 228.750,00
  • Locação de caminhonetes: R$ 1.920.000,00
  • Adquirir conjunto de proteção individual (roupa) para equipar os combatentes: R$ 1.918.000,00
  • Caminhões-pipa estruturados para o combate a incêndios florestais: R$ 2.700.000,00
  • Drones para serem utilizados em ações de resposta e fiscalização: R$ 632.000,00
  • Adquirir Posto de Comando Móvel do tipo reboque: R$ 300.000,00
  • Reboque para o transporte de logística avançada (Almoxarifado Móvel):  R$ 240.000,00

Total dos investimentos: R$ 22.388.340,00

Esclarecendo os números

Em uma entrevista publicada no domingo (23), no site do governo do Estado e reproduzida pelo LIVRE, a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti,  descreveu o que seriam os investimentos em andamento para o combate aos incêndios florestais.

Na ocasião, ela falou sobre o baixo índice pluviométrico, o que amplia a preocupação do Estado, além de apontar a aplicação de R$ 73 milhões.

Secretária de Saúde, Mauren Lazzaretti apresentou investimentos na estiagem. (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

“Entre as principais ações, investimentos maiores, na ordem de R$ 73 milhões, para aquisição de helicóptero, capacitação de profissionais, contratação de brigadistas e uso da tecnologia para suporte da linha de frente de combate ao fogo”, diz trecho da matéria.

Contudo, o valor que parece vultoso não é apenas para as queimadas e, sim, para uma série de ações da Secretaria de Meio Ambiente durante todo o ano.

Vale lembrar que no ano passado, os incêndios florestais causaram uma verdadeira tragédia, que resultou na destruição de 40% do Pantanal Mato-grossense.

Naquela ocasião, tanto o governo federal, como o estadual foram duramente criticados pelos moradores das regiões. Na maior parte dos casos, o combate teve a participação de integrantes das próprias comunidades, pessoas sem nenhum treinamento.

LEIA TAMBÉM

Como está distribuído o restante do dinheiro

  • Gestão – planejamento e organização de ações diversas de combate ao desmatamento, piracema e incêndios florestais : R$ 100.000,00
  • Monitoramento – levantamento de informações sistematizadas – : R$ 5.900.000,00
  • Responsabilização – garantir o processo da aplicação ao recebimentos das multas:  R$ 1.800.000,00
  • Fiscalização: R$ 7.270.000,00
  • Proteção à fauna: R$ 11.375.000,00
  • Comunicação: R$ 3.500.000,00 

Total: R$ 29.945.000,00

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVídeo | Vento forte derruba estátua da Havan no Rio Grande do Sul
Próximo artigoHomem acha mala cheia de pendrives com imagens de crianças nuas na rodoviária de Cuiabá