R$ 47 que viram R$ 29 mi

Impacto do salário mínimo afeta municípios e muitos sofrem para conceder o reajuste

(Foto: Agência Brasil)

Os R$ 47 a mais no salário mínimo dos brasileiros – que passou de R$ 998 para R$ 1.039 neste ano – vai representar R$ 29 milhões a menos nos cofres das prefeituras de Mato Grosso.

O número foi divulgado pela Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM).

Segundo a instituição, as 141 prefeituras possuem, juntas, cerca de 41,6 mil servidores públicos recebendo remunerações vinculadas ao valor do salário mínimo.

Destes, 1.711 recebem só metade do salário mínimo; 6.267 recebem até um salário mínimo e 33.671 ganham até um e meio.

“Entendemos que o trabalhador é merecedor do reajuste, mas acompanhamos de perto o sufoco dos municípios para atender a exigência legal. Normalmente, as prefeituras não dispõem de recursos para fazer a correção”, destaca o presidente da AMM, Neurilan Fraga.

Em 2019, o impacto foi ainda maior: R$ 38,7 milhões aos cofres municipais.

Os valores foram calculados incluindo os encargos, como Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e as contribuições para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e Previdência, por exemplo.

Conforme a AMM, dos entes federados, os municípios têm a maior parte dos empregados do país. São mais de 3 milhões com remuneração vinculada ao salário mínimo. E esse cenário se acentua nas cidades de menor porte.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOs doutores analfabetos do Brasil
Próximo artigoCom a Bíblia na mão, pregador evangélico beija menina de 14 anos à força