Quer levar o pet nas férias? Veterinária dá dicas para viagens de carro e avião

Há documentos necessários e alguns hábitos que precisam ser adquiridos antes do embarque para evitar estresse

(Foto de John Escudero no Pexels)

Deixar o pet seguro e confortável é primordial se você pretende levá-lo junto na viagem de férias da família. Por isso, é preciso avaliar com antecedência todos os preparativosque envolvem o meio de transporte e tempo de viagem.

Médica veterinária e especialista em segurança da DogHero – maior empresa de serviços para pets da América Latina -, Thais Matos dá dicas para ter uma viagem tranquila.

“O primeiro ponto a se verificar é se a carteirinha de vacinação está em dia. Seja qual for a opção de transporte, é imprescindível respeitar as regras para que tudo ocorra bem e todos tenham uma viagem agradável. Vacinas precisam ser aplicadas anualmente e seguir o cartão de vacinação ajuda a evitar diversas doenças”, ela explica.

Viagem de avião

A maioria das companhias aéreas brasileiras permite viajar com o pet. Animais de estimação de pequeno porte (até 10 kg) podem ir na cabine. Portanto, antes de escolher a companhia, o ideal é pesquisar sobre as determinações de cada uma. Assim, você pode comprar a passagem da empresa cuja política de transporte de animais seja a mais agradável.

Não existe uma legislação específica para levar pets no avião, mas a exigência de alguns documentos é de praxe.

Viagens nacionais:

  • atestado de saúde (feito por um médico veterinário),
  • carteira de vacinação
  • comprovante atualizado de vacina antirrábica.

Viagens internacionais:

  • carteira de vacinação,
  • Certificado Zoosanitário Internacional (CZI),
  • Certificado Veterinário Internacional (CVI),
  • laudo sanitário.

Alguns países pedem ainda que o pet tenha um microchip implantado, para que ele possa ser identificado. O chip para o cães, por exemplo, que é do tamanho de um grão de arroz e armazena informações como nome, espécie, sexo, cor, idade, raça e os dados do tutor.

Além disso, você precisa se informar sobre as restrições de entrada de pets no país de destino. Vários países voltaram a proibir a entrada de animais de determinados locais do mundo.

Acostume seu animal com a caixa de transporte

A primeira dica para levar o pet no avião é habituá-lo à caixa de transporte. O ideal é que você reproduza experiências parecidas com as que viverá no voo, para que o animal fique mais tranquilo.

Nunca force o pet a entrar na caixa. Deixe a caixa de transporte aberta e sempre à vista, para que ela se torne familiar. Ofereça petiscos dentro dela e faça um carinho quando ele entrar.

Se possível, ofereça uma das refeições do dia dentro da caixa. Fazer passeios gradativos com ele dentro da caixa é outra orientação bem importante.

Esse “treino” deve começar a ocorrer pelo menos um mês antes da viagem, para que o pet possa ter tempo suficiente de se acostumar.

Viagens de carro

(Foto: Cottonbro / Pexels)

Todos devem utilizar o cinto de segurança, inclusive os pets. E já existe um equipamento específico para eles. Funciona como um extensor, pois é fixado no fecho do cinto do carro e ao peitoral do seu animal de estimação.

Para os felinos, a caixa transportadora promove conforto e segurança e também precisa ficar presa no cinto de segurança.

Pets devem viajar sempre no banco de trás e nunca no assoalho do carro. No banco traseiro, seu animal de estimação estará muito mais seguro. Vale colocar a caminha dele no banco, para que se sinta mais confortável e seguro.

Deixar o pet tomar aquele ventinho durante a viagem também não é conveniente. O vento forte por ocasionar dores no ouvido e prejudicar a audição, além de irritação nos olhos.

Utilizar capas protetoras para carro pode ser uma boa. Elas são confeccionadas em tecido – há modelos impermeáveis – que conferem segurança, pois não deixam o animal escorregando no banco. De quebra, protegem as portas do carro.

Seu pet enjoa? Visite um veterinário

Alguns pets costumam enjoar durante viagens de carro. O veterinário pode recomendar o medicamento e a dosagem correta.

Na consulta, apresente a carteira de vacinação (mesmo que esteja em dia) e informe a distância que será percorrida.

Nenhum tipo de remédio deve ser recomendado ao seu animalzinho sem a prescrição de um médico veterinário. Somente o profissional está habilitado para indicar o remédio correto que irá amenizar o desconforto do seu pet durante a viagem.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça bloqueia bens de ex-prefeito de Aripuanã e de esposa
Próximo artigoHomem tenta fazer compra e descobre que “está morto” desde 2012