Quase 80 unidades de saúde em Cuiabá não têm farmacêutico

Ausência do profissional é um descumprimento a uma lei federal. Agora, na Capital, projeto de lei municipal visa cobrar as contratações desses especialistas

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Em Cuiabá, 79 unidades básicas de saúde não têm farmacêutico para fazer a distribuição dos medicamentos. Dentre elas estão as policlínicas do CPA I e Pedra 90, alerta o Conselho Regional de Farmácia do Estado de Mato Grosso (CRF-MT).

A ausência do farmacêutico é um descumprimento à lei federal 13.021, de 2014. O texto determina que as farmácias de qualquer natureza deverão contar com a presença de profissional em todos seus horários de funcionamento.

O presidente do CRF-MT, Iberê Ferreira da Silva Junior, explica que a entrega de medicamentos é ato privativo do farmacêutico, conforme dispõe o decreto federal 85.878, de 1981.

Mas sem a contratação do profissional, quem assume essa função na rede pública, muitas vezes, é um enfermeiro.

“Muitas gestões alegam não dispor do profissional farmacêutico em seu quadro de servidores, e não possuírem disponibilidade financeira para contratação”, comenta o presidente.

Projeto na Câmara

A vereadora Michelly Alencar (DEM), apresentou o projeto de lei 007 de 2021, que obriga, em âmbito municipal, o cumprimento da legislação federal.

“O profissional farmacêutico é fundamental na gestão pública da saúde. Ele auxilia o gestor em todo o processo desde a compra via licitação até a dispensação nas unidades básicas de saúde”, argumenta.

Michelly acredita que se os farmacêuticos trabalhassem em todo o processo, desde a licitação até a dispensação de medicamentos, talvez não teria esse escândalo dos remédios vencidos. Afinal, haveria um controle maior e, como resultado, maior benefício para a população.

“Por isso também defendo a realização de concurso público para contratação de mais profissionais na Prefeitura de Cuiabá, visto que hoje o número é deficitário”, cobra.

LEIA TAMBÉM

O que diz a Prefeitura de Cuiabá?

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que já está em andamento um levantamento das necessidades de quantos farmacêuticos são necessários nas unidades da atenção secundária para fazer a contratação, buscando cumprir a Lei federal nº 13.021/2014.

A Pasta garante que, em breve, completará o quadro de farmacêuticos em todas as farmácias das UPAs e Policlínicas de Cuiabá.

A SMS destaca ainda que está trabalhando na elaboração do Plano Municipal de Assistência Farmacêutica, com o intuito de otimizar o controle dos medicamentos e insumos nas unidades de saúde.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVocê sabe como cuidar do seu gato? Confira seis dicas para fazê-lo feliz
Próximo artigoGoverno Federal deve arrecadar R$ 100 bilhões com venda de imóveis