Quantidade de motoristas por aplicativo dobra em 6 meses

Representante da categoria diz que há motoristas que trabalham de segunda a segunda e não conseguem R$ 1,5 mil mensais

A quantidade de motoristas de aplicativo dobrou em menos de 6 meses em Cuiabá e Várzea Grande. Conforme o vice-presidente da Associação de Motoristas por Aplicativo do Estado de Mato Grosso, Kleber Campos, existem cerca de 8 mil pessoas exercendo a atividade atualmente.

Desse total, metade vive exclusivamente deste serviço e os demais fazem como complementação de renda, explica o vice-presidente.

Um inchaço que já causa impacto no bolso e obriga muitos a procurarem novas formas de conseguir se manter.

Segundo Campos, basta fazer as contas. Para a pessoa trabalhar, precisa investir cerca de R$ 30 mil em um carro. Isso sem considerar seguro, manutenção e combustível.

E para recuperar o dinheiro e ainda conseguir manter a família, precisa ficar mais de 8 horas ao volante de segunda a segunda, sem descanso.

No caso de quem opta por alugar o carro, a situação é ainda mais grave. Além do combustível, o condutor precisa tirar entre R$ 400 e R$ 500 apenas para pagar o veículo.

O vice-presidente diz que caso a pessoa trabalhe direto, com carro locado, não consegue fazer R$ 1,5 mil por mês.

“O número de motoristas aumentou, mas o de clientes não. Todo os dias, mais de 30 novos motoristas chegam aos escritórios das empresas de aplicativo”.

Redução dos impostos

O deputado estadual Ulysses Moraes (DC) chegou a apresentar na Assembleia Legislativa de Mato Grosso um projeto que determina a isenção de impostos como IPVA e ICMS para motoristas de aplicativo, porém não conseguiu aprovação na plenária e o texto acabou arquivado.

Segundo o vice-presidente, eles estão acompanhando o caso e existe um compromisso do governador, Mauro Mendes (DEM), com a categoria.

O chefe do Executivo teria garantido que no próximo ano faria um estudo para ver o impacto deste benefício nas contas do Estado e, depois, tentaria oferecer algo aos motoristas.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Não tem que ofertar nada . Tem que por limitação nos carros de aplicativo para ser sustentável , o executivo não pode abrir mão de receita , este modelo escravocrata destas empresas estão acabando com a vida do trabalho. Pq o representante dos motoristas de aplicativos não pedem limitação sabe pq nao pede? Pq ele não pode , a empresa desliga ele da plataforma pq ele é apanas .nada para as empresas , em quanto os motoristas de aplicativos não entenderem que transportar pessoas individualmente tem um custo e insumos que temos que colocar no km/rodado para uma sobrevivência justa e digna não adianta nada de retirar ICMS e outras taxas , tem que ter um preço compatível ao serviço, quem ganha é só o usuário e o dono de aplicativo. A verdade é está ,se não for me digam qual é?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFederação de Cururu e Siriri é denunciada por fraude e desvio de dinheiro público
Próximo artigoAprovada desde outubro, reforma da Previdência vai começar a valer

O LIVRE ADS