Providências para o Ganha Tempo

Secretaria vistoria contrato apontado com diversas irregularidades pela CGE

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) garantiu, por meio de nota nesta quinta-feira (27), que não fez o pagamento referente aos atendimentos que, supostamente, teriam sido feitos em até 30 segundos por serviços no Ganha Tempo. A informação, divulgada pelo LIVRE, consta em relatório de auditoria da Controladoria-Geral do Estado (CGE), obtido pela reportagem.

Segundo a nota, a Pasta exigiu que a empresa Rio Verde Ganha Tempo, concessionária por meio de uma parceria público-privada, apresentasse a identificação individual do cidadão atendido, como forma de tornar a fiscalização mais eficaz.

Ainda conforme a assessoria, a Seplag estaria fazendo um “plano de providências” para sanar as irregularidades apontadas e a empresa já está sendo notificada.

A Pasta estuda a possibilidade de colocar gerentes para fiscalizar a prestação dos serviços nas unidades do Ganha Tempo e, nesse meio tempo, servidores públicos serão designados como fiscais.

Já em relação ao parecer do Ministério Público de Contas pela rescisão do contrato com a empresa, a Seplag disse que não foi notificada e que aguarda decisão do Tribunal de Contas.

LEIA TAMBÉM

Eficiência ou fraude? Ganha Tempo relata atendimentos de 30 segundos

CGE aponta que contrato do Ganha Tempo custa o dobro; MP pede rescisão 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmpresa terá que indenizar família de idosa que caiu e morreu atropelada por ônibus
Próximo artigoPolícia prende homem acusado de usar filho menor de idade para ajudá-lo no tráfico