Prova de vida por videochamada

Aposentados e pensionistas poderão usar o recurso

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

A diretoria do Cuiabá-Prev alerta os beneficiários sobre a necessidade de se realizar a prova de vida anual (obrigatória aos aposentados e pensionistas) e recadastramento bienal (obrigatória aos aposentados por invalidez), seja pelo aplicativo Meu RPPS, por chamada de vídeo agendada ou de forma presencial, mediante agendamento, na sede do órgão previdenciário, localizado na Rua São Benedito, 645, bairro Lixeira, de segunda a sexta, das 07h30 às 12h e das 13h30 às 15h30.

O agendamento pode ser feito pelo telefone (65) 3617-1800, no horário de atendimento já mencionado, ou pelo aplicativo Meu RPPS.

O secretário-adjunto de Previdência, Fernando Jorge Mendes de Oliveira, explica que “com a pandemia, os atendimentos presenciais foram suspensos e tivemos que nos adequar à nova realidade. Então, passamos a disponibilizar duas formas virtuais de prova de vida: uma através do aplicativo Meu RPPS ou através de chamada de vídeo do segurado com a equipe do Cuiabá Prev. Com a retomada dos atendimentos presenciais, mediante agendamento, agora contamos com três formas de executar o serviço”, afirma.

De acordo com a Lei complementar nº 399/2015, que reestrutura o regime próprio de previdência social do Município, é obrigação do aposentado e do pensionista apresentar, anualmente, no mês do aniversário, atestado de vida e fazer o recadastramento.

No caso do servidor público aposentado por invalidez, a lei o obriga a submeter-se a exames médico-periciais a cada 2 anos, no mês de aniversário do segurado, sob pena de ter o pagamento dos proventos suspensos.

Atualmente, o Cuiabá-Prev conta com 4.303 segurados, entre aposentados e pensionistas.

(Com informações da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCuiabá fecha 4 dos 5 polos de vacinação por falta de doses
Próximo artigoComissão da ALMT reprova projeto de lei que recria a “Caravana da Transformação”