|terça, 21 agosto 2018

    Promotor diz que defesa de cabo Gerson tenta ligar sistema Guardião a grampos ilegais

    54
    COMPARTILHECOMPARTILHE

    Ednilson Aguiar/O Livre

    Gaeco Operação Convescote

    Gaeco é detentor do sistema Guardião

    O promotor Milton Pereira Merquiades afirmou que advogados que atuam no caso do escândalo dos grampos ilegais tentam tumultuar o processo ao insistir em tratar do sistema Guardião durante as audiências do processo do cabo Gerson Correa. O policial militar confessou ser operador de um sistema de grampos ilegais dentro do governo e é o único dos envolvidos que continua preso.

    Nesta sexta-feira (9), Merquiades afirmou que foi criado um pano de fundo no processo como se toda a ilegalidade começasse no sistema, quando muitas interceptações nem passam pelo Guardião, pois foram feitas com direcionamento para telefones celulares, que não necessitam passar pelo sistema.

    “A defesa sempre tenta jogar como se o Guardião do MP fosse o responsável por essas escutas clandestinas. Mas nenhuma dessas interceptações que são objeto do processo hoje passaram pelo Guardião. Então, se não passaram pelo Guardião, qual a importância de estar se questionando tanto nesse momento? É apenas uma estratégia de defesa, para tumultuar o processo, e vamos combatê-la”, disse o promotor à imprensa.

    Ele afirmou que o sistema utilizado pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e cedido à Polícia Militar foi colocado no foco do escândalo depois da entrevista coletiva do governador Pedro Taques (PSDB), no dia 12 de maio de 2017, quando o gestor tratou do caso pela primeira vez.

    “Graças a Deus, ao longo do processo a verdade está vindo à tona. Nós não temos nada a ver com isso e tampouco nada a esconder. Trabalhamos de uma forma limpa, transparente. E, no final de tudo, a verdade virá à tona. E aquelas pessoas que são culpadas vão responder pelos seus atos”, disse.

    O promotor acredita que a defesa pode estar tentando anular operações do Gaeco que utilizaram escutas telefônicas via Guardião. “Talvez essa seja uma das pretensões. Mas eu não acredito que venha a anular nada, porque todas as operações do Gaeco foram feitas com autorização judicial. Não teve nenhum caso de barriga de aluguel envolvendo o Gaeco ou o Ministério Público”, concluiu.

    Deixe um comentário

    Please enter your name here
    Please enter your comment!

    DESTAQUES

    Bairro Cuiabá História Municípios Policia
    Polícia Civil prende filho acusado de matar pai por esganadura em Confresa
    Ex-prefeito, pai de brasileira morta chega ao Paraguai e nega prisão de suspeito
    Marido mata homem porque ele olhou sua mulher dançar em festa de aniversário
    Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
    Arquiteta teria fugido por acreditar que acidente se tratava de assalto, dizem testemunhas
    Ritmo de campanha: Taques cola em Dante, Mauro em Blairo e Wellington no verde; ouça jingles
    Janaina Riva aposta em segundo turno entre Wellington e Mendes
    Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
    Cinco unidades do Indea são revitalizadas com recursos de Fundos
    Soja tem cenário promissor e área plantada deve crescer
    Setor de couro quer melhorar qualidade e aumentar exportações
    Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
    Sesc Arsenal oferta minicurso sobre adaptação literária em multimídia neste sábado
    Evento circense reúne artistas da América Latina em Cuiabá com apresentações ao público
    Fotógrafos profissionais e amadores terão consultorias gratuitas nesta semana
    Corrupção Economia Eleições Estados Política
    Comitê para Migrações repudia agressões a venezuelanos
    Pesquisa da CNI mostra melhora na confiança dos empresários
    Temer e ministros discutem situação de venezuelanos em Roraima
    Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
    Começam inscrições para concurso docente da UFMT
    Por R$ 23 mil, Tribunal de Justiça de Mato Grosso lança concurso para magistratura
    Sejudh abre concurso para agentes penitenciários com salários de até R$ 3 mil
    X