Projeto que altera Fundo Eleitoral é segue para sanção de Bolsonaro

Proposta já havia sido apreciada anteriormente pelos deputados, mas sofreu modificações no Senado

O plenário da Câmara Federal aprovou na noite desta quarta-feira (18) o projeto de lei que altera regras sobre o Fundo Partidário e o fundo eleitoral.

A proposta já havia sido apreciada anteriormente pelos deputados, mas sofreu modificações no Senado. Os senadores mantiveram apenas a destinação de recursos ao fundo eleitoral, rejeitando todas as outras alterações feitas ao texto.

O projeto agora segue para a sanção presidencial. Na Câmara, os deputados também excluíram algumas propostas feitas pelos senadores.

Mantido

  • obrigatoriedade de uso do sistema eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para a prestação de contas;
  • prazos atuais de prestação de contas por parte dos partidos.

Excluído

  • aplicação de multa de 20% sobre montante considerado irregular no julgamento da prestação de contas (apenas no caso de dolo);
  • permissão aos partidos para corrigirem erros formais e materiais, omissões ou atrasos em sua prestação de contas até o seu julgamento.

Fundo Partidário

Pelo texto aprovado pelos deputados, o fundo poderá ser usado para:

  • serviços de consultoria contábil e advocatícia;
  • pagar juros, multas, débitos eleitorais e demais sanções relacionadas à legislação eleitoral ou partidária;
  • compra ou locação de bens móveis e imóveis, construção de sedes, realização de reformas;
  • pagamento pelo impulsionamento de conteúdos na internet, incluindo a priorização em resultados de sites de pesquisa.

(Com informações da Agência Câmara)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEstupradas pelo padrasto com a conivência da mãe, irmãs fogem de casa
Próximo artigoHomem assedia criança na internet, marca encontro e PM é acionada