Projeto de Mato Grosso do Sul proíbe linguagem neutra nas escolas

O projeto tem como objetivo defender e padronizar o idioma em uso no país

(Imagem ilustrativa / Pixabay)

Com o objetivo de estimular o uso da língua culta, o governo do Mato Grosso do Sul proibiu o uso da linguagem neutra nas escolas e nos documentos oficiais. O projeto é de autoria do deputado estadual Marcio Fernandes (MDB) e foi aprovado na Assembleia Legislativa por 14 votos a 1.

De acordo com o projeto de lei, é preciso proteger e padronizar o idioma em uso no país e, por isso, as escolas devem seguir a língua formal.

“É obrigatória a utilização da norma culta da língua portuguesa nos instrumentos de aprendizagem utilizados no ambiente escolar, nos documentos oficiais e na confecção de materiais didáticos, como forma de padronização do idioma oficial do país”, de acordo com a lei 5.820, publicada em 29 de dezembro.

Língua sem ideologia

Segundo o deputado autor do projeto, a língua portuguesa não deve sofrer alterações apenas para satisfazer interesses políticos e ideológicos de alguns.

“Na língua de uma nação, nada se acresce pelo uso da força ou do enviesamento político-ideológico”, escreveu o deputado ao apresentar o projeto.

Único voto contra

Apenas um deputado votou em defesa do uso da linguagem neutra, o ex-secretário de Educação Pedro Kemp (PT), que citou seus motivos.

De acordo com o petista, a ALMS não deveria legislar sobre o tema, mesmo que as escolas sejam estaduais.

“Primeiro, porque, no meu entendimento, a Assembleia não tem competência para legislar sobre o uso da língua portuguesa.”

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPostos de combustíveis já podem comprar etanol direto de refinarias
Próximo artigo“Não podemos vacinar o mundo a cada 6 meses”, diz representante da AstraZeneca