Projeto de lei expande a outros Estados pagamento de dívidas na blitz de trânsito

Em Mato Grosso, o serviço foi anunciado ainda em 2019 e tem previsão de ser implantado até o fim deste semestre

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Um projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados pode expandir para outros Estados uma ideia que já vem sendo implantada em Mato Grosso: a possibilidade de pagamento de dívidas de trânsito nas blitzes.

A facilitação ocorre na esteira da digitalização dos processos dos departamentos estaduais de trânsito (Detrans) do país iniciada em 2017.

Em Mato Grosso, a mudança foi anunciada em abril de 2019 e, segundo o Detran, deve estar disponível até o fim deste semestre. Na prática, quem for parado em uma blitz deve poder pagar na hora – e não ter o veículo apreendido – dívidas de IPVA, multas, taxas e etc.

LEIA TAMBÉM

O projeto de lei nacional obriga órgãos de fiscalização de trânsito a oferecer aparelhos eletrônicos que permitam ao condutor pagar, no momento da abordagem, impostos, taxas, multas ou outras despesas relacionadas ao bem.

O efeito dessa regra reduziria o número de veículos apreendidos e levados para depósitos.  Resolvendo um problema do poder público – que tem que lidar com pátios lotados – e do condutor – que não passa pelo transtorno de ficar a pé de uma hora para outra.

“Além disso, a medida trará agilidade ao Estado no recebimento de débitos irresolutos, bem como resulta em desburocratização dos serviços públicos”, defende o autor do projeto, o deputado federal Maurício Dziedricki (PTB-RS).

Pela proposta, ninguém mais precisa ter o carro apreendido se for flagrado com taxas atrasadas. O pagamento poderia ser feito na hora (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Se aprovado, o projeto determina que os órgãos de trânsito urbano e rodoviário em estradas municipal, distrital, estadual ou federal adotem a medida. Eles terão prazo de seis meses para começar a oferecer o serviço.

Implantação em Mato Grosso

O Detran-MT informou que a facilidade de pagamento por aqui depende da digitalização de serviços que ainda passam pela averiguação em documentos em papel. Em outra palavras, a “maquininha” de cartão deve estar nas mãos dos agentes quando também for possível a eles emitir uma via digital do Certificado de Registro de Licenciamento de Veículo (CRLV).

“Mesmo com CRLV digital ainda é preciso emitir o documento em papel moeda em alguma unidade do Detran, para só então o veículo estar regular. Somente quando a regularização for possível digitalmente, é que o pagamento em abordagem ficará disponível”, informou assessoria de imprensa do departamento.

O acesso ao CRLV digital passou a ser autorizado em Mato Grosso em junho de 2019. Contudo, ainda não inclui a liberação da CRV, documento emitido no ato do primeiro emplacamento do automóvel e que apresenta todas as características do carro como cor, modelo, ano, adaptações, proprietário.

Conforme o Detran-MT, hoje, esse serviço está sendo processado juntamente com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). A previsão é que a atualização esteja concluída nos próximos meses para, em seguida, repassar autorização às empresas cadastradas nos serviços de trânsito para iniciar o pagamento em blitz.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJúlio Campos foi escolhido
Próximo artigoProtagonista de Jessica Jones será serial killer e nova série

O LIVRE ADS