Profissionais da saúde de VG recebem EPIs; secretário alerta sobre alta de preços

Segundo Diógenes Marcondes, preço das máscaras cirúrgicas, por exemplo, saltou de R$ 7,90 para R$ 150,00

(Divulgação/Prefeitura de Várzea Grande)

Mesmo com a alta de preços e escassez de equipamentos de proteção individual à venda, a Prefeitura de Várzea Grande anuncia que conseguiu adquirir mais itens para os profissionais da saúde.

A divulgação da entrega de materiais foi feita neste domingo (29), depois da reunião do Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus, de Várzea Grande.

De acordo com a prefeita Lucimar Sacre de Campos, há uma preocupação maior com os idosos, “mas não podemos e não vamos descuidar dos profissionais da área da saúde pública”, se comprometeu.

Os materiais a serem utilizados pelos servidores da área da saúde pública, que lidam diretamente com a população no combate à doença, atendem as normas estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA e do Ministério da Saúde em comum acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS.

O secretário de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes disse que por vezes a equipe da prefeitura tem enfrentado a dificuldade de encontrar esses materiais e que por isso, os preços dispararam.

A situação de aumento de preços que superam 6 mil pontos percentuais já foi apontada em documento encaminhado ao Governo do Estado pelo Sindicato das Empresas de Saúde de Mato Grosso (Sindessmat) e pela Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Mato Grosso (Fehosmat).

“Dois itens essenciais nos EPIs – Equipamentos de Proteção Individual são as máscaras cirúrgicas descartáveis com elástico que tiveram seus preços majorados 1.799% saindo de R$ 7,90 a unidade para R$ 150,00 e o avental cirúrgico descartável com mangas longas que subiu 6.313% saindo de R$ 0,92 (noventa e dois centavos) para R$ 59,00”, alerta Diógenes.

Outro produto que segundo ele atinge valores exorbitantes é o medicamento azitromicia que está sendo associada à cloroquina, remédios utilizados para a malária e agora aplicados no tratamento do COVID 19 com sucesso em casos graves.

“Subiu 473%, seguido por sulfato de magnésio que subiu 213% e haloperidol que foi elevado em 163% e mais o álcool 70% que subiu imensos 152%. Todos estes aumentos vão dificultar sobre maneira qualquer atuação do Poder Público ou mesmo da área médica como um todo”, declara.

Por fim, a prefeita diz que tem investido também em conscientização para evitar o estrangulamento do sistema de saúde caso a pandemia saia do controle e reforçou: que “o distanciamento social é uma das mais eficientes e importantes medidas para se combater o coronavírus”.

Ela disse que vai cobrar que todos que cumpram essa meta, “sem descuidar de outra questão, a econômica, e dos empregos de milhares de pessoas que trabalham no comércio e indústria de nossa cidade e que estão isolados”.

(Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorIsolamento social: Paulo Guedes diz que é preciso “respeitar as opiniões dos dois lados”
Próximo artigoCoronavírus: Brasil tem 136 mortes e 4.256 casos confirmados

O LIVRE ADS