Profissionais da Educação protestam pedindo que governador aprove auxílio

Em sua maioria, são professores interinos que, sem contrato com o Estado, não têm uma fonte de renda para se manter

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Profissionais interinos que atendem as escolas estaduais estão em protesto, em frente ao Palácio do Paiaguás, na tarde desta terça-feira (20). Eles pretendem sensibilizar o governador Mauro Mendes (DEM) e conseguir o auxilio financeiro para compensar a falta de contratos, diante do fechamento das escolas por conta da pandemia do coronavírus.

O protesto segue respeitando a distância de segurança exigida por órgãos de saúde, para evitar o contágio com a covid-19.

Segundo a professora Rebeca Zanon, a estimativa é que entre 4 mil e 6 mil famílias estejam sem renda, dada a não contratação dos servidores interinos. Alguns já estão vivendo de doações tendo em vista que, por terem trabalhado no ano anterior, foram excluídos do auxílio emergencial do governo federal.

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Zanon lembra que um projeto de lei que implementa o auxílio foi aprovada na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) e, agora, aguarda a sanção do governador.

“Queremos ser vistos e ter nossas demandas ouvidas. Precisamos do auxílio e já tentamos de diversas formas uma negociação, mas o governador sempre fala que, se autorizar, é pego pela lei de responsabilidade fiscal”, argumenta.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAulas presenciais só em agosto
Próximo artigoVídeo | Instrutores e proprietários de academias pedem retorno das atividades em Cuiabá

O LIVRE ADS