Professores farão plantão tira-dúvidas na retomada das aulas em MT

Secretário Alan Porto disse que, por meio de agendamento, os alunos poderão ir em número limitado às escolas para consultas direta aos professores

(Foto: Michel Alvim/Secom-MT)

Professores da rede estadual farão plantões no modelo tira-dúvidas para atender alunos durante os meses de aulas remotas em Mato Grosso.

Um cronograma de agendamento deverá ser aberto pelas escolas logo no início do ano letivo de 2021. 

Conforme o secretário de Estado de Educação Alan Porto, os alunos poderão consultar pessoalmente os professores com dúvidas pontuais sobre o conteúdo que estiver sendo aplicado no momento. 

Os plantões serão implantados para mitigar as dificuldades de absorção de conteúdo e voltar a reaproximar os professores dos alunos.

Nesta semana o secretário disse em entrevista que, dentre as reclamações mais frequentes dos alunos em 2020, estava a falta de resposta para as dúvidas. 

“Serão plantões de dúvida que seguirão todas as regras de medida sanitária. O aluno receberá o material apostilado ou vai ter acesso online aos conteúdos, aí, se ele tiver alguma dúvida, por agendamento poderá ir conversar com o professor na escola”, disse. 

O modelo apontado pelo secretário é o atendimento de dois alunos por vez, mas não delimitou se esse número seria por dia e por hora. Essa definição dependerá da demanda de pedidos e da condição de cada escola em atender. 

As aulas na rede estadual começam no dia 8 de fevereiro, no modelo remoto. O próximo passo será para as aulas no modelo híbrido (presencial e remoto), sem data de início.

O secretário afirmou que a Seduc acompanhará semanalmente a linha de contágios diários para decidir sobre a transição. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPesquisa mostra que Bolsonaro está na frente em todos os cenários para 2022
Próximo artigoFalta de imunização de professores não impede volta às aulas, diz associação