|sábado, 22 setembro 2018
Flávia Goulart levou sua experiência em Cuiabá para a Brazil Conference, em Harvard

Professora de MT que usou funk para ensinar gramática representou o Brasil em Harvard

A professora Flávia Goulart e o seu colega Ivan Gontijo estiveram na Brazil Conference, em Harvard, para dar exemplos de boas práticas na educação

159
COMPARTILHECOMPARTILHE

O otimismo natural de Flávia Goulart ficou ainda maior desde que ela voltou da Universidade de Harvard, na última semana. A professora de 27 anos leciona na Escola Estadual Zélia Costa de Almeida, no bairro Jardim Presidente II em Cuiabá, e foi uma das escolhidas para representar os professores brasileiros na Brazil Conference.

Durante o evento, que é organizado por alunos brasileiros de Harvard e do MIT (Massachusetts Institute of Technology), Flávia e o professor Ivan Gontijo deram alguns exemplos bem-sucedidos de ferramentas e técnicas de ensino em escolas públicas, os dois integram a rede da ONG Ensina Brasil. Na escola onde leciona, a professora chegou a usar funk para ensinar os alunos do 9ª ano do Ensino Médio sobre gramática.

“Uma das coisas que percebi é que os adolescentes do nono ano são muito criativos e eles gostam muito de funk. Então eu aglutinei explicar os porquês com funk”, relembra. A professora diz que aulas neste sentido vão além da expectativa. “Eu não estava aqui, mas no aniversário de Cuiabá eles estavam cantando o funk dos porquês na escola”, diz entre risos.

Turma do 9ª ano do Escola Professora Zélia da Cossta Almeida, em Cuiabá

A música composta pela professora é uma paródia de “Cerol na Mão” do grupo Bonde do Tigrão. Utilizando uma espécie de “censo” com os alunos, Goulart tenta entender as particularidades de cada estudante e a partir disto atraí-los para o ensino.

“O grande X da questão é fazer com que o aluno de escola pública pare de copiar e comece a ser um ser pensante, muitos vêm de uma cultura de cópia, e não estão acostumados a criar, só decoram”, lamenta.

Mas para chegar a esse estágio, Flávia defende que é preciso “exigir” do professor de escola pública. Ela entende que, apesar das dificuldades sistêmicas e estruturais, os professores precisam ser melhores qualificados e cobrados pelo serviço prestado.

“É exigir assim como a gente exige das outras profissões. Não podemos exigir menos devido às condições [estruturais]. Não exigimos menos do médico quando vamos ser atendidos e a gente sabe das condições. Eu sempre penso em poder dar meu máximo para o meu aluno”, diz.

Defesa da escola pública 

Crítica à retirada de disciplinas antes consideradas obrigatórias, como Filosofia e Sociologia, a jovem professora de Língua Portuguesa se coloca como uma defensora da escola pública. “Eu sou uma professora que acredita que a escola pública é tão boa quanto a particular”, sentencia.

“Sempre que um aluno me conta um sonho, eu digo a ele que ele pode conseguir aquele sonho através da educação. Toda vez que eu planejo minha aula, eu sempre penso que ele quer realizar um sonho e através disso eu posso fazer com que ele chegue mais próximo desse sonho. É claro que tem uma parcela que também é dele, mas o professor contribui muito com isto”.

COMENTÁRIOS

  1. É maravilhoso saber que o nosso país tem jeito e já estão tentando fazer essa mudança, “atacando” as bases, no caso a educação. Há inúmeros alunos brilhantes na escola pública também, mas em alguns momentos faltam-lhes oportunidades e informações para alcançar o sucesso. Parabéns pela excelente professora Flavia Goulart e pela matéria importantíssima.

Deixe um comentário

Please enter your name here
Please enter your comment!

DESTAQUES

Bairro Cuiabá História Municípios Policia
Final da Série C: falta de luz, defesas incríveis e público recorde marcam vitória do Operário
Chuva rápida com ventania causa estragos em Sinop
Duplicação de rodovia que inclui trincheira e viadutos no Distrito Industrial custou R$ 1 bilhão
Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
Chuva rápida com ventania causa estragos em Sinop
Gravação mostra pouso de emergência de avião de Nilson Leitão; veja vídeo
TCE realiza levantamento para ajudar prefeituras a aumentar arrecadação com IPTU
Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
Pecuaristas aderem a projeto sustentável e reforçam a importância da união da cadeia produtiva
Fiscais do Indea se preparam para atuar no vazio sanitário do algodoeiro
Safra recorde: produção de café em Mato Grosso é a maior da história
Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
“Dobradinha” Diego & Arnaldo e Israel Novaes lotam Musiva. Veja Fotos
Doceira investe em sobremesas tradicionais como pudim, pavê e bolinho de chuva
Produção cuiabana vence “melhor dos melhores” em premiação na Índia
Corrupção Economia Eleições Estados Política
Ciro Gomes relaciona porte de fuzil com tamanho de pênis dos jovens
Bolsonaro recebe alta de UTI semi-intensiva em hospital de São Paulo
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
Sine oferece quase 50 vagas de emprego nesta semana; 22 são para PCDs
Última semana para inscrição em concursos com salários de até R$ 7 mil; veja vagas
McDonald’s oferece 20 oportunidades de trabalho em Cuiabá
X