|domingo, 19 agosto 2018
Foto: Getty Images

Professora de MT afogava bebês e ameaçava crianças em creche

Tapas seriam um "corretivo" aplicado por ela em uma sala onde os demais profissionais não pudessem ver

214
COMPARTILHECOMPARTILHE

Uma professora de Sorriso (município distante 420 km de Cuiabá) foi indicada pela Polícia Civil pelos crimes de maus tratos e ameaça, depois que a polícia constatou que ela maltratava crianças de um berçário público.

Foram diversas denúncias que chegaram à Polícia Civil, que puderam ser comprovadas por testemunhos de pais e profissionais do berçário.

Segundo divulgou a polícia, a professora trabalhava no berçário 1 – que atende bebês de seis meses a um ano – e era concursada pela Prefeitura do município. Ao contrário do que se esperava, no entanto, ela sempre teria tratado as crianças com impaciência.

Relatos de testemunhas à polícia dão conta de que a mulher chegou a fazer ameaças, dizendo que iria cortar as línguas das crianças. Além disso, batia com força nos bebês, o que os faziam chorar e gritar de dor. Os “tapas” seriam um “corretivo” aplicado por ela em uma sala onde os demais profissionais não pudessem ver.

Ainda ao decorrer do inquérito, instaurado no mês de julho, a mulher também estaria afogando as crianças embaixo d’água. Elas só eram retiradas quando não aguentavam mais.

“Mesmo achando estranho o comportamento, uma das testemunhas alegou que imaginaria que não passaria dos castigos, até o dia que presenciou a professora impaciente, ao dar banho em um dos bebês. Ela deixou a criança embaixo da torneira, sacudindo, até que começasse a se afogar”, disse o delegado, Nilson André Farias de Oliveira, responsável pela investigação.

A professora também ordenava que as auxiliares de sala não dessem colo nem carinho aos bebês.

Após as denúncias, a mulher foi trocada de berçário pela prefeitura do município e passou a trabalhar com escolar maiores, “a fim de preservar a integridade física dos bebês”.

A mulher acabou indiciada pelos crimes de maus tratos e ameaça. A investigação foi concluída e encaminhada ao Ministério Público para as medicas cabíveis.

COMENTÁRIOS

  1. Acho um absurdos outras pessoas verem e não fazer nada, pelo quê entendi, outras pessoas sabiam e não fizeram nada. Então foram coniventes isso sim. Umas bruxas.

Deixe um comentário

Please enter your name here
Please enter your comment!

DESTAQUES

Bairro Cuiabá História Municípios Policia
Estudante se sensibiliza e vende brownies para comprar cadeira de rodas a adolescente com paralisia cerebral
Bombeiros não liberam Rock Arena e público é barrado na entrada do evento; veja vídeo
MD: Droga sintética tema de música é apreendida pela primeira vez em Sinop
Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
Personagens inusitados e nomes curiosos: as figuras carimbadas de toda eleição
População de MT vai poder escolher entre 519 candidatos nas eleições deste ano
Carreta carregada de cerveja tomba e carga é saqueada em Sorriso
Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
Fazenda que produz mais de 37 mil litros de leite por dia atrai atenção dos mato-grossenses
Vendas de carne bovina crescem 11% e somam US$ 3,5 bilhões
Fazendeiros que desmataram 242 hectares terão que pagar R$ 150 mil
Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
Duelo estadual de MCs terá seletivas nas batalhas de Cuiabá e VG até outubro; confira datas
Shows internacionais invadem o gramado da Arena Pantanal em Cuiabá
Rede que conecta pensadores sobre mundo contemporâneo será lançada na UFMT
Corrupção Economia Eleições Estados Política
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 27 milhões na quarta-feira
Governo procura 67 pessoas para pagar indenização por trabalho escravo
Decreto proíbe cobrança por cadeira de roda em viagem rodoviária
Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
Por R$ 23 mil, Tribunal de Justiça de Mato Grosso lança concurso para magistratura
Sejudh abre concurso para agentes penitenciários com salários de até R$ 3 mil
Sine Municipal oferece 78 novas oportunidades para quem deseja retornar ao mercado de trabalho
X