Professor de escolinha de futebol é preso por estuprar alunos e gravar nudes de crianças

Ele se aproveitaria de viagens, em que levava as crianças e adolescentes para testes de futebol, para cometer os abusos

O treinador Clemente Borges Aranha, conhecido como professor Aranha (imagem divulgada pela PJC)

O treinador Clemente Borges Aranha, que dá aulas de futebol em uma escolinha na região do CPA, foi preso nessa segunda-feira (17), no Bairro Três Lagoas, em Cuiabá, acusado de estuprar alunos, crianças e adolescentes, todos do sexo masculino. Com ele ainda foram encontradas várias fotos de crianças e adolescentes nus.

As investigações, comandadas pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), tiveram início a partir da denúncia de uma mãe, que procurou a Polícia Civil relatando que seu filho havia sido vítima de abuso sexual, supostamente praticado pelo professor da escolinha que atende os bairros Dr. Fábio, Três Barras e Novo Horizonte, todos de Cuiabá.

A escolinha do suspeito, conhecido como professor Willian, atende crianças e adolescentes entre 8 e 16 anos, do sexo masculino.

LEIA TAMBÉM

Treinador pedia vídeos de alunos se masturbando para “analisar desenvolvimento muscular”

À época da primeira denúncia, foi instaurado um inquérito policial e pedida a prisão do suspeito, mas a Justiça negou o pedido. A Polícia Civil, então, continuou as investigações e chegou a duas novas vítimas, de 14 anos, cujas mães também denunciaram que seus filhos tinham sido abusados pelo professor.

Essas vítimas passaram por exame de corpo de delito e por atendimento da equipe psicossocial da PJC e, com isso, ficou confirmado que ambos haviam sofrido estupros em viagens com o professor.

Um deles, um menino que à época do abuso tinha 13 anos, tinha viajado para o Rio de Janeiro e para Goiás, onde participou de testes de seleção com o professor Willian. Durante a viagem ele teria sido abusado sexualmente pelo professor.

Os abusos contra o adolescentes chegaram a acontecer outras vezes, segundo a polícia. O outro garoto que foi vítima, de 14 anos, era amigo deste e foi abusado durante uma viagem a Curitiba (PR). Nesse caso, o suspeito chegou a fazer o menino tomar um medicamento e usar um gel na virilha, afirmando que era para que o menino “melhorasse seu rendimento físico”.

Segundo a Polícia Civil, os abusos eram, quase sempre, cometidos durante viagens com alunos para testes de futebol, em hotéis em que as crianças e adolescentes ficavam hospedados.

Nessa segunda-feira (17), com a prisão do professor decretada pela 14ª Vara Criminal de Cuiabá, o celular dele foi apreendido e, no aparelho, foram encontradas dezenas de fotos e vídeos de meninos se masturbando, mostrando seus órgãos genitais e o abdômen, em fotos apenas de cueca.

As imagens levaram o professor a ser preso, também, em flagrante por adquirir, possuir, ou armazenas imagens de pornografia envolvendo crianças ou adolescentes.

Há a suspeita de que dezenas de alunos tenham sofrido abusos sexuais por parte do professor e, por isso, a Polícia Civil divulgou fotos e o nome do suspeito, pedindo que mães dessas possíveis vítimas procurem a Deddica para realizar a denúncia, registrando um boletim de ocorrência. A delegacia está localizada na Avenida Dante Martins de Oliveira, s/n, (anexo ao Complexo Pomeri), no Bairro Planalto, em Cuiabá.

Foto: PJC

1 COMENTÁRIO

  1. Quando esses “pai e mães vão deixar de enviar filhos com estranhos em viagens e Escolas sem sua Supervisão? As autoridades também poderiam dar um Alvará de Escolas e Academia com varias câmeras de Filmagens, MAS COM ACESSO Somente por Agentes acompanhados ate por testemunhas neutras e o Responsável pelo Estabelecimento de tempos em tempo sem Aviso Prévio. Tais registros filmados deveria ser “vistos” pela Comissão de Investigação e uma comoção de Pais.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPolícia Federal deflagra operação para combater empresas clandestinas de segurança privada
Próximo artigoSelma denuncia homem que “vendia” terras em seu nome e dizia ser amigo de políticos de MT