Produtores estão cautelosos e área de soja tem pequeno acréscimo

Queda nas cotações e guerra comercial seguram ampliação do cultivo

A primeira projeção para a safra 19/20 de soja, divulgada pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), prevê que a área total a ser semeada no Estado ficará em aproximadamente 9,72 milhões de hectares. Aumento de 0,5%, se comparada a área plantada na safra anterior, sendo o menor avanço já registrado na série histórica.

“Este pequeno aumento pode ser pautado pela posição mais cautelosa dos produtores, visto que a cotação da oleaginosa segue se recuperando após forte queda em abril e maio, em conjunto com as incertezas da guerra comercial sino-americana”, diz o informativo.

Produtividade

O Imea projeta que serão colhidas 56,2 sacas por hectare, o que a configura como a segunda maior da série histórica e uma evolução de 0,4% em comparação à safra anterior. Assim, apesar do menor crescimento, a produção no estado foi estimada em 32,8 milhões de toneladas, ficando 1% acima à da safra anterior.

“Contudo, cabe salientar que esta primeira projeção representa o sentimento inicial do mercado, podendo assim ter alterações até a conclusão da colheita”, alerta o Instituto.

Observada de forma regional a primeira estimativa de soja para a safra 19/20, pode-se notar que quatro das sete regiões do estado têm uma expectativa de rendimento maior que a da última safra. Dentre elas, a região centro-sul se destaca, pois, apresentou maior variação, com 1,65%, e produtividade estimada em 55,3 sacas por hectare.

Já entre as regiões com as maiores produtividades projetadas, podemos destacar a norte com 57,1 sacas por hectare e a médio-norte com 57,0 sacas por hectare. Cabe aqui ressaltar que a região norte foi a que obteve a maior média do estado na safra anterior e, mesmo com o menor rendimento na safra 19/20, se mantém na liderança no quesito.