Procuradoria Eleitoral pede cassação do mandato de Carlos Bezerra

Procurador Eric Masson diz que parlamentar se valeu do cargo de presidente do MDB para montar gabinete paralelo em 2018

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O Ministério Público Eleitoral pediu a cassação do mandato do deputado federal Carlos Bezerra (MDB) por supostos gastos ilícitos nas eleições de 2018. O órgão diz que Bezerra montou um gabinete paralelo ao comitê de campanha, o que o beneficiou na disputa. 

O argumento está no parecer final, assinado pelo procurador regional eleitoral, Eric Raphael Masson, ao processo que investiga Carlos Bezerra por crimes eleitorais. 

Conforme o procurador, o gabinete foi vinculado ao MDB, partido do qual Bezerra é presidente em Mato Grosso, e o parlamentar teria se valido desse cargo para omitir declaração de gastos. 

Masson cita dois casos em que as despesas reais de campanha não teriam sido informadas. O dinheiro considerado com origem em caixa 2 soma R$ 183,7 mil. 

A despesa com material gráfico informada à Justiça Eleitoral foi de R$ 142 mil, porém o gasto real teria ficado em R$ 262 mil. Com combustíveis, foram informados R$ 48 mil. O valor real, contudo, teria ficado 134 mil. 

Os valores a mais foram identificados em apuração dos documentos de campanha. 

“Não se ignora que o investimento, pelo partido, até poderia vir a ser legítimo, se não fosse o fato de que absolutamente nada foi declarado à Justiça Eleitoral! Esse ponto é de suma importância, porque decorrem os contornos de caixa dois”, diz o parecer. 

O que diz Carlos Bezerra?

A reportgem do LIVRE entrou em contato com a assessoria do deputado federal Carlos Bezerra, mas ainda não recebeu um retorno. O espaço segue aberto para manifestações.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGames devem indenizar jogadores por uso da imagem
Próximo artigoCenso 2022 terá 26 perguntas no questionário básico