Prisão do Dr Bumbum é “um alívio para a gente”, diz enteado de bancária morta

Família soube da prisão por meio da imprensa e ficou contente com a medida

(Foto: Alan Cosme/HiperNotícias)

“Um alívio”, foi como Alessandro Jamberci, de 41 anos, enteado da bancária cuiabana Lilian Calixto, definiu a notícia sobre a prisão do médico Denis César Furtado, conhecido nacionalmente como Doutor Bumbum. O profissional responde a um inquérito pela morte da bancária, que teve complicações após um procedimento estético realizado no último sábado (14), no Rio de Janeiro. Ele estava foragido desde segunda-feira (16) e foi preso no início da tarde desta quinta-feira (19).

[featured_paragraph]Segundo Alessandro, a família ficou sabendo sobre a prisão por meio da imprensa nacional e comemorou. “Nessas horas, que eram só de tristeza, todo mundo fica contente, né. É um alívio muito grande”, disse ao LIVRE.[/featured_paragraph]

Doutor Bumbum foi preso por volta das 13h, dentro de um centro comercial na Barra da Tijuca – mesmo bairro onde realizou o procedimento estético que culminou na morte da bancária Lilian Calixto. A polícia chegou até o local por meio de informações recebidas pelo Disque-Denúncia, que oferecia uma recompensa de R$ 1 mil pela comunicação.

Na noite de quarta-feira (18), a advogada dos acusados, Naiara Baldanza, disse em entrevista coletiva em Brasília (DF) que Denis havia desenvolvido síndrome do pânico, mas que já negociava com a polícia para se entregar. Contra ele há um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça do Rio de Janeiro no início da semana. Eles chegaram a pedir pela liberdade, mas tiveram o habeas corpus negado no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

O caso

Segundo as apurações, Lilian deixou Cuiabá na sexta-feira (13) para realizar uma aplicação de polimetil-metacrilato (PMMA), a fim de aumentar o volume do bumbum. O procedimento foi realizado no sábado (14), na cobertura do médico, em um prédio na Barra da Tijuca (RJ). Horas depois, ela não passou bem e foi levada pelo médico a um hospital, já em estado grave. Na unidade médica, a bancária sofreu duas paradas cardíacas e morreu na madrugada de domingo (15), em decorrência de uma embolia pulmonar.

Em Cuiabá, o filho mais velho da bancária, Victor Calixto, de 24 anos, disse à imprensa que a mãe teria sido enganada pelo médico, uma vez que o procedimento foi combinado para ser feito em Brasília, mas mudou de endereço em cima da hora. O rapaz disse ainda que a família não sabia do procedimento. Lilian foi enterrada em Cuiabá na manhã desta quarta-feira (18) sob muita emoção.

Exercício ilegal

O caso é investigado pela 16º Delegacia de Polícia do RJ, que informou que, conforme o Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj), Denis não tinha autorização para exercer a medicina no Estado. Ainda, a delegada do caso, Adriana Belém, informou que o procedimento não poderia ter sido realizado na casa do médico – que possui diversas passagens polícia, incluindo por homicídio.

Nesta quinta-feira (18), o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) informou que cassou o registro de médico do Doutor Bumbum. Segundo informaram, Denis já teve o exercício da profissão interditado pelo conselho em 2016, mas conseguiu reaver a medida três meses depois, com aval da Justiça Federal.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBigLar Jardim das Américas comemora um ano de loja nova
Próximo artigoFeirantes e clientes do Mercado do Porto apreciam canções ao piano nesta sexta