Prioridade para transplantados

Letalidade da covid-19 nesse grupo de pessoas é cerca de 10 vezes maior do que na população em geral

(Foto: ALMT)

Presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, o deputado estadual Max Russi (PSB) pediu ao governo que inclua pacientes transplantados no Plano Estadual de Imunização contra a covid-19.

Conforme dados da Central de Transplantes, da Secretaria de Estado de Saúde (SES), existem 2.352 pessoas transplantadas em Mato Grosso. Desses, 2.024 pacientes receberam novas córneas, 283 novos rins, 38 novos fígados, seis receberam medula óssea e um teve um pulmão transplantado.

“Esses transplantados possuem uma fragilidade imunológica. Nosso pedido também se baseia em estudos científicos que mostram maior letalidade da doença. Por isso, defendemos que esse grupo de pessoas sejam incluídas na primeira fase da vacinação”, argumentou Russi.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Órgãos (SBO), a taxa de letalidade da população geral pelo novo coronavírus é de 2,4%. Já em pessoas que passaram por transplante de órgãos, esse número gira em torno de 20%.

Todos esses pacientes precisam tomar medicamentos imunossupressores pelo resto da vida para evitar a rejeição do órgão.

“Esses medicamentos debilitam o sistema imunológico, tornando esses pacientes mais vulneráveis a infecções. Por isso, a infecção por covid-19 nesse grupo tende a ser mais grave”, disse José Huygens Garcia, presidente da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), em entrevista à CNN Brasil na última terça-feira (23).

LEIA TAMBÉM

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTJMT suspende lei que reconhecia igrejas e cultos como atividade essencial
Próximo artigoSTF barra livre nomeação de diretor para centros técnicos federais