Prestes a viajar pela Europa, Flor Ribeirinha se apresenta na UFMT

“Mato Grosso Dançando Brasil”, espetáculo premiado na Turquia, chega ao Teatro Universitário nos dias 15, 16 e 17 de junho

Antes de sair para mais uma turnê internacional com o espetáculo que encheu os olhos de jurados especializados na Turquia, o grupo Flor Ribeirinha apresenta aos conterrâneos uma prévia da obra – ao mesmo tempo que relembra a consagração – no Teatro da UFMT. Serão três novas oportunidades de prestigiar “Mato Grosso Dançando Brasil”; nos dias 15, 16 e 17 de junho, às 20h.

Os ingressos, no valor de R$ 40 e R$ 20 (meia entrada), podem ser adquiridos clicando AQUI ou nas Casas de Festas dos Shoppings Pantanal e Goiabeiras. A renda arrecadada irá auxiliar nas despesas do grupo que logo parte para 40 dias de turnê na Rússia, França e Suíça, a partir do dia 10 de julho, com o mesmo espetáculo.

“Dessa vez um pouco diferente. Não será uma competição internacional, mas somos o convidado principal dos festivais da Europa, devido ao título na Turquia”, conta diretor artístico e coreógrafo do Flor Ribeirinha, Avinner Augusto.

Com uma passagem pelas danças típicas do Brasil, com foco no Siriri, dança mato-grossense tradicional, “Mato Grosso Dançando Brasil” foi campeão mundial de folclore no Festival Internacional de Arte e Cultura, realizado em Istambul, na Turquia.

“Danças tradicionais brasileiras, com várias nuances, personagens, ritmos e gestualidades, compondo um repertório de possibilidades, dentre as quais estão o Boi Bumbá de Parintins oriundo do Norte, a Dança Gaúcha forte expressão cultural do Sul, o Frevo do Nordeste, o Siriri Cuiabano enraizado na comunidade São Gonçalo Beira Rio representando o Centro-Oeste e o samba do Sudeste do Brasil”.

Após a competição que contou com representantes de outros 26 países, no ano passado, o título consagrou o Flor Ribeirinha como um legítimo representante não só Mato Grosso, mas todo o país, em eventos de danças tradicionais por todo mundo.

Flor Ribeirinha

Nascida no quintal da Mestre da Cultura Domingas Leonor da Silva, na comunidade de São Gonçalo Beira Rio, a Associação Cultural Flor Ribeirinha trabalha há mais de 24 anos no resgate, manutenção, proteção e difusão da cultura popular, sobretudo o Siriri e Cururu e outras formas de expressão da cultura regional.

Atualmente, com pouco mais de 50 membros entre músicos, dançarinos e produção, a construção da trajetória premiada teve como pontapé a realização da primeira turnê, também pela França, quando o grupo foi selecionado pela Federação Brasileira de Artes Populares (Febrarp) junto a outros 500 grupos, há quatro anos atrás.

Após ampliar a turnê pela Europa, o convite para o campeonato em Istambul foi reflexo da participação em competição na Coreia do Sul, em 2016, onde o grupo foi vice-campeão.

Confira o espetáculo que encantou e ganhou o mundo:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBrasil tem 110 magistrados sob proteção
Próximo artigo“Elas no Campo” traz debate sobre modelo de sucessão no agronegócio