Preso injustamente, homônimo de condenado pela Justiça passa 30 dias detido

Diego da Silva, de 35 anos, foi confundido com outro Diego da Silva que cumpre pena em Várzea Grande

(Foto: Freepik)

Um homem de 35 anos passou 30 dias na prisão injustamente. Diego da Silva, de 35 anos, conseguiu a revogação de sua prisão preventiva na terça-feira (18), com o auxílio da Defensoria Pública. Ele foi confundido com um detento que cumpre pena em Várzea Grande.

O soldador, que trabalhava na balsa que faz a travessia entre Cocalinho (MT) e Mozarlândia (GO), no Rio das Mortes, morava em uma escola abandonada. Ele foi abordado pela  Polícia Militar, no dia 9 de abril, por porte ilegal de arma de fogo quando caçava um animal para se alimentar.

Na ocasião, Diego não portava nenhum documento de identidade. Em identificação indireta, a polícia concluiu que o detido seria Diego da Silva, que cumpre pena em Várzea Grande.

LEIA TAMBÉM

Além de ter o mesmo nome e sobrenome do reeducando de Várzea Grande, as mães dos dois também têm o mesmo nome. No entanto, a data e o local de nascimento são diferentes.

Segundo a defensoria, Diego foi liberado na manhã desta quinta-feira (20).

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLivraria Janina fecha loja do Shopping Pantanal
Próximo artigoPolícia descobre adoção à brasileira e resgata bebê que seria levado para a Bolívia