Presidente do TJ decide pela manutenção da escolta de Selma Arruda

A segurança da pré-candidata deve ser mantida até a próxima reunião da Comissão de Segurança do Tribunal de Justiça

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Rui Ramos, determinou a manutenção da escolta armada da juíza aposentada e pré-candidata ao Senado, Selma Arruda (PSL), suspensa na última segunda-feira (21) pela Comissão de Segurança do Tribunal de Justiça.

A segurança da pré-candidata deveria ser desmontada em 48h. Segundo uma fonte do Tribunal de Justiça, no entanto, o presidente ordenou, nesta quarta-feira (23), que a escolta seja mantida, pelo menos, até a próxima reunião da comissão.

Para embasar a decisão, a comissão argumentou que relatório da inteligência de reavaliação de risco aponta que, no momento, não existem ameaças reais identificadas contra a vida da magistrada aposentada e de sua família. Alegou ainda que Selma Arruda tem descumprido o protocolo de segurança, ao frequentar lugares de grande aglomeração de pessoas, que comprometem a atuação da equipe de seguranças.

Ao recorrer da suspensão, que classificou como desproporcional ao trabalho que desenvolveu na magistratura, a pré-candidata ressaltou que a suspensão contrariou parecer da Coordenadoria Militar do próprio Poder Judiciário e reforçou que é alvo de ameaças desde setembro de 2015, quando passou a ser escoltada pelos policiais militares, que se revezam para protegê-la 24 horas por dia.

Além disso, citou exemplos como do governador Pedro Taques (PSDB), que teve escolta mantida durante as campanhas ao Senado e ao Governo, e do juiz federal Odilon de Oliveira, pré-candidato ao Senado pelo PDT do Mato Grosso do Sul.

A comissão, presidida pelo desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, tem como um dos membros o juiz Marcos Faleiros, um dos substitutos de Selma na 7ª Vara Criminal de Cuiabá e que, na última semana, foi criticado por ela, que o classificou como “leniente, garantista e que absolve fácil”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Estamos em estado de guerra e precisamos da população”, diz caminhoneiro
Próximo artigoEm protesto, Chopp será vendido pela metade do preço em Cuiabá

O LIVRE ADS