Presidente do TCE aponta arrogância e cobra respeito de Taques

Ednilson Aguiar/O Livre

Montagem Taques e Antonio Joaquim

 

O presidente do Tribunal de Contas do Estado, Antônio Joaquim, emitiu nota na tarde desta terça-feira (25) refutando as declarações do governador Pedro Taques publicadas num grupo de WhatsApp (clique aqui para ler). O conselheiro pediu respeito a Taques. “Sua arrogância não me assusta”, escreveu.

“O Sr. Governador precisa ter a humildade para entender que não é dono do Estado e não pode e nem deve querer ficar definindo a agenda das outras instituições. Ele precisa respeitar os outros Poderes e órgãos independentes”, acrescentou o presidente do tribunal.

Os dois entraram em atrito na segunda, depois de o TCE divulgar que entraria com uma ação contra a Secretaria de Fazenda do Estado (clique aqui para ler). Sob a alegação de sigilo fiscal, a Sefaz se recusou a passar informações sobre empresas e exportações a auditores do órgão de controle. No mesmo dia, por meio de uma postagem no grupo de WhatsApp do site MidiaNews, o governador acusou Antônio Joaquim de usar o tribunal com interesses eleitorais – o conselheiro já disse que deixará o cargo até o fim do ano e é apontado como um possível adversário de Taques em 2018.

O governo de Mato Grosso informou que irá se manifestar sobre as declarações do presidente do TCE. Mais cedo, o secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, disse que o questionamento feito pelo tribunal é “irresponsável” (clique aqui para ler).

Veja a íntegra da nota de Antônio Joaquim:

“Nas primeiras horas do dia de hoje, tomei ciência de declarações de autoria do governador Pedro Taques a meu respeito e também a respeito do TCE. Não vejo como necessário refutar ponto a ponto, mas creio que alguns esclarecimentos sejam necessários.

O sr. Governador, a meu ver, está está gastando munição com alvo errado. Foi desproporcional e injusto com o TCE-MT, com os seus membros e com os técnicos e auditores públicos externos. O Tribunal de Contas busca cumprir sua missão constitucional ao fiscalizar receitas e despesas públicas.

O Sr. Governador precisa ter a humildade para entender que não é dono do Estado e não pode e nem deve querer ficar definindo a agenda das outras instituições. Ele precisa respeitar os outros Poderes e órgãos independentes. A sua arrogância não me assusta. Estamos em uma democracia.

Eu tenho orgulho da minha biografia e, como presidente do TCE-MT, exijo do sr. Governador o mesmo respeito que lhe tributo no desempenho de sua função.  Jamais permitirei contaminar a minha gestão na Presidência do TCE-MT com questões político-eleitorais, pois não vou violentar os meus limites morais e éticos. Respeito demais a minha história e a instituição que honrosamente sirvo com determinação.

Ao se referir ao TCE-MT como um “puleiro”, o sr. Governador agride a todos que nele trabalham. Na ânsia de atingir um, atingiu a instituição Tribunal de Contas. Aos auditores e membros, peço que relevem a esgarçada reação. Embora não posso deixar de estranhá-la completamente, pois trata-se da reação de um ex-membro do Ministério Público, que agora se arvora contrário ao controle externo no procedimento de arrecadação de receitas públicas. 

O acesso às informações é necessário para qualquer auditoria e o TCE se dispôs a até assinar termo de transferência para garantir a preservação do sigilo fiscal. À propósito, entendo que a verdadeira transformação só ocorre quando existe verdadeira transparência aos órgãos de controle.  

Aos auditores e técnicos, que estão à frente das auditorias, reafirmo a confiança do Colegiado de Conselheiros, Conselheiros Substitutos e Procuradores de Contas. Pois são eles que lidarão com as informações que estão protegidas por sigilo fiscal. Sei da responsabilidade e retidão dos que realizam a fiscalização das receitas públicas e atuam no controle externo da gestão pública.”

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPolícia encontra cadela que aparece em vídeo de suspeito de zoofilia
Próximo artigoPTB retorna à base aliada de Pedro Taques

O LIVRE ADS