Presidente defende agricultura em área indígena e posse de arma para produtores

Primeiro discurso do presidente em Cuiabá fala sobre temas polêmicos

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Em suas primeiras palavras em território Cuiabano, o presidente Jair Bolsonaro, reafirmou os posicionamentos relativo à demarcação de terras indígenas e quilombolas, bem como o acesso a arma de fogos por agricultores.

Segundo ele, não há interesse do governo de mexer nas demarcações vigentes, porém será avaliado com critério os novos pedidos de demarcação. Bolsonaro afirma que não é justo com o produtor rural ser retirado da terra de forma imprevisível por conta de uma decisão como essa.

Questionou ainda o tamanho das áreas solicitadas, que na opinião dele é muito grande para uma quantidade pequena de pessoas.

Outro ponto abordado foi o uso das terras para agricultura e pecuário. O presidente assegurou que está sendo procurado por vários indígenas e todos apresentam o interesse em trabalhar nas áreas, o que Bolsonaro define como uma vida digna.

Armas para produtores rurais

“Um homem armado não é escravizado”, com este slogan, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre as facilidades atuais do homem do campo ter a posse de arma dentro da propriedade e, inclusive, enalteceu a ampliação da posse estendida, que permite o trânsito da arma não só dentro da residência como nos demais espaços da fazenda.

 

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBolsonaro é ovacionado por apoiadores ao desembarcar em MT
Próximo artigoBolsonaro no 7 de setembro