Presidente da França ataca o agronegócio e é rebatido por produtores rurais

Esta não é a primeira vez que o líder francês se intromete na política ambiental brasileira e de Mato Grosso

(Foto: Reprodução/O Livre)

Em uma publicação polêmica pelo Twitter, o presidente da França Emmanuel Macron atacou diretamente diretamente a produção de soja brasileira, plantada majoritariamente em Mato Grosso.

De acordo com o político francês, depender da soja de origem brasileira seria o mesmo que “endossar o desmatamento da Amazônia”.

Para Macron, é necessário ser “coerente” com as ambições ecológicas da frança. O presidente defendeu ainda que a europa diminuísse a compra da soja brasileira, que é atualmente a principal commoditie do Brasil.

“Nós somos coerentes com nossas ambições ecológicas. Se precisamos de soja brasileira para viver, então vamos para produzir soja, ou o equivalente, na Europa”.

Produção rápida

Na publicação, Macron afirmou que importar a soja brasileira produzida em um ritmo rápido, é o mesmo que destruir a flora brasileira.

“Quando importamos a soja produzida a um ritmo rápido a partir da floresta destruída no Brasil, nós não somos coerentes”.

Apenas no último ano, o Brasil produziu mais de 130 milhões de toneladas de soja, o que faz o país ser considerado o maior produtor de soja do mundo.

A maior parte da soja brasileira é plantada em Mato Grosso, que é considerado o estado que mais produz soja no país. O estado também possui grande parte do bioma amazônico brasileiro.

Repúdio de produtores

Em nota, a A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) repudiou a fala do líder francês e lembrou que o Brasil preserva mais de 60% de toda a sua mata nativa e que 25% dessas reservas são mantidas dentro de fazendas.

“Somos uma potência agrícola por vocação e possuímos uma área de 66,3% de vegetação protegida e preservada. Dessas, 20,5% estão em imóveis rurais. De todo o território nacional, utiliza-se apenas 7,8% para lavouras e florestas plantadas”, diz a publicação.

Esta não é a primeira vez que o líder francês se intromete na política ambiental brasileira e de Mato Grosso. No ano passado Macron fez críticas as medidas proteção ambiental do Brasil e ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

Veja a publicação original 

 

 

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Nada mais coerente com o discurso ambiental deles. Se o Brasil quiser manter o cliente é necessário atender as exigências do mercado. Para quem quer apostar no mercado ambiental o momento é agora. A emergência climática mais a pandemia aponta para um mercado de produtos sustentáveis. Cada vez mais o mercado consumidor está exigindo isso.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJovem que atuava ilegalmente como médica em postinho é detida em MT
Próximo artigoLimpeza de campos: pantaneiros veem decreto como passo importante para retomada da economia