Presa por deixar os filhos em casa para trabalhar, mãe desabafa: “Foi humilhante”

Ela disse que filhos ficavam em casa sozinhos porque não podem ir para a escola durante a pandemia e ela precisa trabalhar para criá-los sozinha

Imagem ilustrativa / Freepik

Cristina Auxiliadora de Oliveira, 35 anos, é uma mãe que cria os cinco filhos sozinha trabalhando como cozinheira em uma mineradora em Guiratinga (330 km de Cuiabá) e, nessa quinta-feira (6), acabou presa por deixá-los em casa por ter que trabalhar para criá-los.

Ao LIVRE, ela contou ter se sentido humilhada ao ser detida em seu trabalho, quando tudo que estava fazendo era trabalhar.

“Me senti humilhada, porque vieram me buscar no meu serviço, na porta do meu serviço, de viatura, a polícia, com tudo”, disse Cristina.

Ela afirmou que, antes da pandemia de coronavírus, as crianças, de um, quatro, cinco, nove e 11 anos de idade, ficavam na escola e na creche enquanto ela trabalhava. Porém, como não estão tendo aula, precisaram ficar em casa, sob os cuidados da mais velha.

“Eles estão ficando em casa agora, na pandemia, porque eu trabalho, não tenho condições, eu tenho que trabalhar”, falou.

LEIA TAMBÉM

Pai ausente

As crianças menores são todas filhas do mesmo pai, mas o bebê de um ano nem mesmo tem o nome dele no registro. Segundo a mãe, o pai dá apenas uma pensão de R$ 429 para os outros dois filhos e não participa da criação das crianças.

Com isso, Cristina é uma mãe sozinha, que batalha e trabalha durante o dia para criar os filhos e, às vezes, faz um extra à noite para conseguir mais dinheiro para a família.

“Quando tem que fazer hora-extra, que os carreteiros vêm jantar, eu fico até mais tarde. Nessa quarta-feira (5), eu tinha que fazer o jantar e fiquei até mais tarde, aí foi quando eles [a polícia e Conselho Tutelar] vieram”, contou.

Nesses dias, a filha mais velha, de 11 anos, cuidava dos irmãos. E cuidava bem, segundo a mãe, o que foi até confirmado pelos policiais que atenderam a ocorrência, que notaram que as crianças já estavam alimentadas quando chegaram na casa.

Apesar de ter sido levada para a delegacia, o Conselho Tutelar não retirou as crianças de Cristina. Uma advogada resolveu os problemas e, nessa sexta-feira (7), os cinco estão com uma amiga da mãe.

A partir do sábado, passarão a ficar com uma babá.

“Vai puxar um pouquinho [o orçamento da família], mas, pelo bem dos meus filhos, eu faço o que posso”, disse Cristina.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

9 COMENTÁRIOS

  1. Nao sei pq as pessoas hoje em dia se espanta quando a pessoa tem mais de dois filho cada um tem opção de ter quantos filhos quiser parabéns pra essa mãe que tem cinco preciosidades e rala dia e noite consegue cria eles

  2. Por que os denunciantes, que tem tempo de sobra para denunciar, não se unem para ajudá-la com uma caixa de leite? Por que não prendem o pai por abandono de incapaz? Os denunciantes deveriam ser presos por estarem cuidando, de forma errada, da vida dos outros.

  3. Essa é a realidade de muitas, mas quem vive no fantástico mundo de Alice finge não ver.
    Ninguém tem coragem de ajudar com uma cesta básica, não da uma caixa de leite, mas pra tomar conta da vida, tem um monte, na vizinhança e na internet. Só quem passa essa luta na pele, sabe como é dificil.

  4. Lamentável ser mãe solteira, hj em dia, não se tem ajuda do estado, as pessoas não tem empatia, os pais são ausentes e alguns parentes são que nem inimigos, quem denunciou deveria sentir vergonha,na cara e oferecer ajuda… Se essa mãe fica presa,quem iria sustenta-los o estado? Os vizinhos? O pai ausente? Aonde eles iriam ficar? No orfanato! É uma vergonha isso tudo!!
    Essa mãe então em vez de trabalhar, deveria vender droga? Trabalhar? Deixar os filhos morrer de fome ? É muita hipocrisia. Muita forca ,pra essa mãe,vencer essa batalha .

  5. Sei bem o que é não ter ajuda de ninguém para deixar um filho para conseguirmos trabalhar… Passo por isso.
    Falta empatia, solidariedade, e sobram críticas, intrigas, ignorância e descaso.
    Como muitos disseram, ninguém bate em nossa porta pra oferecer uma caixa de leite, pra saber se estamos vivos.
    Pagar uma babá, é surreal pra quem ganha apenas um salário mínimo. E nessas horas, não há amigos, só desculpas para se isentarem de alguma responsabilidade.
    Mesmo agora na pandemia, onde muitos estão em casa, a insensibilidade e indiferença a essa questão permanece.
    Pra variar, a mãe é quem sofre punição, quem tem que se virar, e é a única a ser cobrada.
    Governo, Estado e Prefeitura, ignoram esse fato, não oferecem auxílio algum (nem estou me referindo ao financeiro). As empresas não querem saber, ou seja, é “cada um com seus problemas”, e evitam, o quanto podem, contratar mães com filhos menores, especialmente mães sozinhas.
    A pessoa pode morar num lugar cercado de vizinhos por todos os lados, mas nenhum deles estende a mão num momento de necessidade.

  6. Nossa desumano, uma mãe está trabalhando e passar por uma situação dessas, a lei do nosso país tinha q mudar; isso não é e nunca foi abandono de incapaz, ao contrário, ela saiu pra garantir o sustento dos filhos…

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCuiabá e Brasil de Pelotas abrem nesta sexta-feira a Série B do Brasileirão
Próximo artigoIpea propõe investimento para manutenção emergencial de rodovias