Presa há quase 10 dias, namorada do Dr. Bumbum tem pedido de liberdade negado

Foto:

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou o pedido de liberdade de Renata Fernandes, de 19 anos, namorada do médico Denis Furtado, conhecido como Doutor Bumbum. Ela está presa em Bangú, no Rio, desde o dia 17 de julho, depois que a morte da bancária cuiabana Lilian Calixto ganhou luz. Ela é acusada de ter auxiliado no procedimento que resultou na fatalidade.

À Justiça, a defesa de Renata pediu a revogação da prisão preventiva decretada há quase 10 dias, mas teve o primeiro pedido negado pela 1ª Vara Criminal no último dia 23. Então, recorreu junto aos desembargadores do TJRJ, mas não teve o pedido aceito.

Dos envolvidos no caso, Renata foi a primeira a ser presa pela 16ª Delegacia de Polícia do Rio, que investiga o caso. Segundo o depoimento de outras pacientes do Doutor Bumbum, a jovem era a responsável por passar orçamentos e captar clientes para os procedimentos estéticos. Além disso, foi ela quem assinou a documentação do hospital onde a bancária cuiabana Lilian Calixto deu entrada após ter complicações em decorrência do procedimento estético.

Foto: Arquivo Pessoal

Lilian Calixto saiu de Cuiabá na sexta-feira (13) para fazer a aplicação de 300 ml de polimetil-metacrilato (PMMA) nas nádegas. Ela tinha o desejo de aumentar o tamanho do bumbum. O procedimento foi feito na cobertura do médico Denis Furtado, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, no final da tarde. No mesmo dia ela passou mal e foi levada às pressas para o hospital. A bancária morreu na madrugada de domingo (15), horas depois.

Depois que o caso ganhou luz, diversos pacientes denunciaram Denis Furtado e sua mãe, Maria de Fátima Furtado, que é médica com registro cassado no Rio de Janeiro e Distrito Federal. Doutor Bumbum também teve o registro cassado em Brasília (DF) e não tinha autorização do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj) para trabalhar.

Um mandado de prisão contra os dois médicos foi expedido na segunda-feira (16), mas eles só foram encontrados na quinta-feira (19), depois de uma denúncia anônima. Desde então o trio está preso no Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEntidades defendem a prorrogação do prazo de negociação do Refis
Próximo artigoTuristas aproveitam período de seca no Pantanal para conhecer diversidade da fauna