Prefeitura prorroga por mais 15 dias o fechamento do comércio em Cuiabá

Atividades no sistema delivery foram oficialmente autorizadas. Aulas continuam suspensas até o dia 10 de maio

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

A Prefeitura de Cuiabá prorrogou por mais 15 dias a determinação para que praticamente todos os estabelecimentos comerciais da Capital permaneçam de portas fechadas por conta da propagação do novo coronavírus.

As regras de restrição, que inicialmente se encerrariam neste domingo (5), passaram a valer até o dia 21 de abril. O anúncio foi feito pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) em um pronunciamento por meio de suas redes sociais.

Permanecem proibidos de funcionar estabelecimentos comerciais de itens não essenciais, feiras livres, academias e igrejas. Também qualquer tipo de evento público ou privado que provoque aglomeração de pessoas.

As normas impostas ao comércio são diferentes, por exemplo, das aplicadas ao setor da Educação (pública e privada) e órgãos municipais. No caso destes, a proibição de voltar às atividades normais foi prorrogada até o dia 10 de maio.

“Eu também estou angustiado com a questão econômica e o possível desemprego, por isso, o tratamento é diferenciado para o setor produtivo no decreto. Para vocês, eu estou avaliando a situação de 15 em 15 dias”, disse Emanuel.

LEIA TAMBÉM

Flexibilização para alguns

Emanuel Pinheiro flexibilizou as regras, no entanto, para algumas categorias. Lavanderias e lava-jatos, por exemplo, poderão voltar a funcionar, desde que com o sistema de recolhimento e entrega em domicílio das roupas ou veículos a serem higienizados.

A prefeitura também vai permitir que lojas que vendem peças de veículos voltem a operar. Isso porque oficinas mecânicas e borracharias – que já estavam autorizadas a abrir as portas – estavam com dificuldade para encontrar matéria-prima necessária para prestar os serviços.

Os pet-shops, que também já tinham sido autorizados a abrir as portas exclusivamente para vender medicamentos ou alimento para animais de estimação, agora, poderão voltar a operar seus sistemas de banho e tosa.

A exemplo das lavanderias e lava-jatos, no entanto, também terão implantar uma forma de ir buscar e entregar o animal. E os banhos precisam ser feitos com agendamento prévio.

Outra atividade econômica liberada pelo prefeito foi a de dedetização de insetos. Segundo Emanuel Pinheiro, uma forma de contribuir, inclusive, com a limpeza e desinfecção da Capital.

Prefeito Emanuel Pinheiro anunciou as novas medidas por meio de uma transmissão ao vivo em suas redes sociais (Foto: Luiz Alves)

Sistema delivery

Com o novo decreto, a Prefeitura de Cuiabá também permitiu aos comerciantes que trabalhem no sistema delivery. Muitos já vinham adotando a prática, ainda que informalmente.

Emanuel Pinheiro ressaltou, entretanto, que os empresários devem passar a adotar medidas de verificação das condições de saúde de seus empregados.

Na hipótese de se identificar sintomas semelhantes aos causados pelo novo coronavírus – em especial febre – esse funcionário deve ser liberado de suas atividades imediatamente.

A orientação do município é para que estas pessoas cumpram quarentena de, no mínimo, 14 dias e, se necessário, procurem atendimento médico nas policlínicas e unidades básica de saúde.

Comércio de alimentos

Ao anunciar o novo decreto – que passa a valer nesta segunda-feira (6) –, Emanuel Pinheiro também cobrou dos supermercados da Capital que cumpram um compromisso, segundo ele, firmado com a prefeitura: limitar a entrada de pessoas nas lojas e sinalizar o chão – em especial nas filas do caixa – com a distância mínima que um cliente precisa ter do outro.

O horário de funcionamento desse tipo de comércio continuará sendo o mesmo: das 8h às 19h. A prefeitura autorizou, no entanto, que eles passem a operar de segunda a segunda.

Apenas no caso de padarias está permitido iniciar as atividades mais cedo: a partir das 6h da manhã.

E o horário imposto aos supermercados passará a valer também para as lojas de conveniência localizadas em postos de combustível. Segundo Emanuel Pinheiro, a Prefeitura de Cuiabá notou um movimento maior do que o recomendável nesse tipo de negócio.

“Muita gente consumindo no local, refrigerante, cerveja”, ele disse, reiterando que o decreto proíbe terminantemente esse tipo de comportamento.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTJ cassa liminar e posto volta a comprar exclusivamente da BR distribuidora
Próximo artigoBrasil ultrapassa marca de 10 mil casos de covid-19

O LIVRE ADS