Prefeitura de Cuiabá suspende desinfecção de condomínios com drones

Contrato vinha sendo criticado nas redes sociais e agora deve receber pareceres do MP, TCE e OAB

(Foto: Davi Valle)

A Prefeitura de Cuiabá resolveu suspender temporariamente as atividades de desinfecção de locais com grande circulação de pessoas que vinham sendo executadas com drones.

O serviço teve início na segunda-feira (4), era voltado para condomínios residencias da Capital e foi justamente isso, além do preço, que fez surgir uma série de questionamentos, em especial, nas redes sociais.

O contrato custa aos cofres públicos R$ 280 mil por mês e tem prazo de validade de 90 dias.

A empresa contratada ofereceu três drones, assim como seus “pilotos” e, pelo menos, 40 condomínios já havia requisitado o serviço ao Município.

Atualmente, de acordo com dados da prefeitura, Cuiabá tem cerca de 2 mil conjuntos habitacionais do tipo.

Ação antecipada

Segundo a Secretaria de Inovação e Comunicação (Sicom) de Cuiabá, apesar das críticas nas redes sociais, nenhum órgão de controle havia questionado o contrato da prefeitura com a empresa.

Mesmo assim, cópias do processo que resultou na contratação serão encaminhadas ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), ao Ministério Público Estadual (MP) e à Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso (OAB-MT).

Os drones só voltam a operar após o parecer dessas instituições.

Antes da contratação desses equipamentos, a prefeitura já vinha fazendo a desinfecção de áreas públicas. Primeiro, com borrifadores, depois com caminhões-pipa.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça bloqueia R$ 1,6 milhão de médico que acumulava quatro cargos públicos
Próximo artigoHomem sente a pressão baixar, toma leite com sal, deita e morre