Prefeitura de Cuiabá pagou auxílios irregulares para 23 servidores, diz TCE

Todos eles faziam parte do comitê que analisava o perfil das pessoas aptas a receberem o auxílio emergencial do município

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

O Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE) identificou o pagamento irregular do programa Renda Solidária a 23 servidores em Cuiabá. São funcionários de órgãos municipais que teriam entrado no cadastro do auxílio financeiro, sem os critérios de vulnerabilidade social. 

Todos teriam recebido três parcelas de R$ 500, no ano passado, como previsto nas normas do programa. Esses pagamentos somaram 73 parcelas e a quantia de R$ 38 mil.  

Os servidores foram identificados em levantamento da Secretaria de Controle Externo (Secex). A irregularidade levou o conselheiro Valter Albano a notificar a prefeitura. A decisão saiu no Diário Oficial de Contas de terça-feira (20).  

LEIA TAMBÉM

Uma nota divulgada nesta quinta-feira (22) pela Prefeitura de Cuiabá afirma que os servidores identificados estão lotados nas secretarias de Mobilidade Urbana (Semob); Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência; Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico; e na Empresa Pública de Zeladoria e Serviços Urbanos (Limpurb). 

Todas as pastas são integrantes do comitê gestor criado para analisar o perfil das pessoas que teriam o direito receber o auxílio instituído pela Lei 6.536/2020.  

O que diz a Prefeitura?

“De antemão, a Prefeitura de Cuiabá refuta ações ilícitas e esclarece que, em caso de confirmação de pagamentos a inaptos, irá promover o processo legal de responsabilização e devolutiva dos valores”, diz a nota. 

O Renda Solidária pagou parcelas de R$ 500 para as pessoas cadastradas até agosto do ano passado. O programa entrou em vigor nos moldes do auxílio emergencial aberto pelo governo federal. 

No caso de Cuiabá, o pagamento deveria ser restrito a feirantes, carroceiros, catadores de recicláveis, ambulantes e outros trabalhadores, cuja atividade e renda foram afetadas pelos decretos de isolamento social na pandemia. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAfetados pela pandemia, guias e condutores de turismo ganham cesta básica em MT
Próximo artigoChacina em Colniza: MP apresenta nova denúncia contra três homens