#PraCegoVer: como tornar as redes sociais mais acessíveis para deficientes visuais

A hashtag #PraCegoVer nasceu com a função de ser educativa e inclusiva

Entrelinhas Comunicação Acessível / Reprodução

Você conhece a hashtag #PraCegoVer? Esse é um projeto que surgiu em meados de 2016, com o objetivo de incluir nas esferas da internet pessoas cegas ou com baixa visão. O termo “cego” não é pejorativo para as pessoas que convivem com essa condição. Elas se ofendem, na verdade, com a falta de inclusão.

A #PraCegoVer nasceu com a função de ser educativa e inclusiva. A frase, é claro, é um trocadilho. A palavra ver foi usada no sentido de dar acesso a algo, e se trata mais sobre os videntes (pessoas que possuem visão) que não enxergam os cegos nas redes sociais, despertando curiosidade e interesse.

O projeto foi idealizado pela professora baiana Patrícia Braille, para disseminar a cultura da acessibilidade nas redes sociais para pessoas com deficiência visual, por meio da autodescrição das imagens. Foi pensado principalmente para pessoas cegas, mas beneficia também aqueles que sofrem com dislexia, deficiência intelectual ou déficit de atenção.

Mas como os cegos usam as redes sociais? Graças à tecnologia, existem soluções como o NVDA: um software de leitor de tela, que começou a ser desenvolvido ainda em 2006 por Michael Curran e James Teh, que se conheceram ainda criança em um acampamento musical para cegos. O software é distribuído de forma gratuita, basta fazer o download. Além desses programas, algumas redes sociais possuem a função de autodescrição de tela, como o Twitter, por exemplo.

Várias marcas e empresas já aderiram a autodescrição de imagens em suas redes sociais, através da hashtag #PraCegoVer, entre elas: Avon, Coca-Cola, Maybelline Brasil, Rayovac Brasil, Quem Disse Berenice?, Skol e Posto Petrobrás. Algumas personalidades, como Romário também tornam seus posts acessíveis, além de alguns órgãos públicos como o Ministério Público Federal e Conselho Nacional de Justiça.

Como fazer a descrição de imagens

Interessou-se pela descrição de imagens, mas não sabe como fazer? Aqui vão algumas dicas!

  • Use a hashtag #PraCegoVer
  • Descreva o tipo de imagem postada: fotografia, ilustração, cartoon, etc.
  • Comece a descrever a imagem da esquerda para a direita, e de cima para baixo.
  • Informe as cores: Se a imagem for em preto e branco, sépia, tons de cinza, é importante dizer. Se for colorida, não precisa especificar nesse momento, isso estará incluído na descrição.
  • Descreva todos os elementos de um determinado ponto da imagem, e só depois passe para o outro ponto, criando uma sequência lógica.
  • Descreva de forma resumida, se possível. Não tem porque usar cinco palavras se você pode explicar bem usando apenas três, por exemplo.
  • Evite usar adjetivos: Se o que está sendo descrito é lindo, feio, desagradável, a pessoa com deficiência é quem vai decidir a partir da descrição.
  • Capriche!

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHospital exibe filmes para aliviar a rotina de pacientes em tratamento de câncer
Próximo artigoJustiça mineira bloqueia R$ 5 bilhões da Vale

O LIVRE ADS